Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://tecnologia.uol.com.br/album/2012/08/21/ai-delicia-fotografos-ensinam-a-melhorar-fotos-de-comida-postadas-nas-redes-sociais.htm
  • totalImagens: 24
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20120821123600
    • Dicas de tecnologia [50617]; Redes sociais [16852];
Fotos
Com a explosão das redes sociais, a câmera do telefone celular ficou tão popular quanto o garfo na hora de comer: a cada prato, um flash. Mas como fotos de comida nem sempre saem bem (quantas vezes você quis comer o risoto ou macarrão que seu amigo postou?), reunimos conselhos de fotógrafos especializados em cliques de dar água na boca. A seguir, eles contam o segredo de suas próprias fotos e também ensinam a melhorar imagens de pratos servidos no Instagram. Por Juliana Carpanez Arte/UOL Mais
Ricardo D'Angelo, editor de fotografia da revista ''Prazeres da Mesa'', tirou essa foto durante um jantar em Fortaleza. ''Coloquei uma taça de vinho branco em primeiro plano. O foco está na comida. A luz que entra pela lateral é do iPhone de uma amiga'', ensina. Para ele, essa é uma foto limpa e simples: ''vendo essa imagem, me recordo do sabor do prato'' Ricardo D'Angelo Mais
A foto acima foi feita por Ricardo D'Angelo, editor de fotografia da revista ''Prazeres da Mesa'', com uma luz natural vindo da parte de cima. A dica de D'Angelo para os fotógrafos de iPhone é usar o aplicativo gratuito Adobe Photoshop Express. ''Procuro sempre fazer a foto mais fechada, assim elimino o que não interessa'', ensina o fotógrafo, que fez o clique acima em sua hora de lazer Ricardo D'Angelo Mais
A pedido do UOL Tecnologia, o editor de fotografia Ricardo D'Angelo analisou a foto acima, postada no Instagram. ''A comida está muito pesada, mas imagino que seja um almoço de domingo, o que vale o registro. Colocando a travessa direto na madeira, o fundo ficaria mais limpo e o olhar iria direto para o prato'', explica. Ele destaca os três planos da imagem (prato, perna e madeira), que acabam deixando a foto pesada. Além disso, chama a atenção para a falta de brilho: ''nada que um bom azeite não ajude'' Reprodução/Webstagram Mais
A pedido do UOL Tecnologia, o editor de fotografia Ricardo D' Angelo analisou a foto acima, postada no Instagram. Ele avalia a foto como poluída: ''muito papel, muita batata e comida bem bagunçada''. A solução aqui seria usar o fundo de madeira e deixar o lanche em um ângulo mais vertical. Também seria melhor tirar a foto mais fechada. Apesar das dicas, ele reforça: ''Use seu lado de fotógrafo amador ou profissional nas redes sociais sempre na brincadeira, sem levar muito a sério'' Reprodução/Webstagram Mais
A pedido do UOL Tecnologia, o editor de fotografia Ricardo D'Angelo analisou a foto acima, postada no Instagram. Ele considera bons os ingredientes para a foto e reforça que ela poderia ficar ainda melhor se a quantidade de comida fosse reduzida. A receita: ''menos comida, prato maior e uma luz mais natural. Se for noite, peça para um amigo acender a luz do iPhone, ajudando assim a deixar o prato mais claro e bonito''. Para finalizar, um azeite deixaria a imagem mais brilhante Reprodução/Webstagram Mais
A foto acima é de Paulo Pereira, do Estúdio Luzia. Segundo ele, uma boa foto de comida desperta a vontade de comer o prato fotografado. ''Cada tipo de prato pede um tipo de iluminação. No meu caso, sempre opto pelo mínimo de luz artificial e procuro ambientar ao máximo o prato em seu contexto, elegendo cores, fundos, louça ideal, etc.'' A dica dele é sempre partir das cores dos alimentos para compor o restante da cena Paulo Pereira Mais
Paulo Pereira, do Estúdio Luzia e autor da foto acima, lembra que uma boa produção é fundamental -- e isso vale também para suas fotos no Instagram. ''Tente mostrar o melhor de cada item: o melhor pedaço de tomate, a melhor folha. A comida deve ter aparência de que acabou de sair da panela'', ensina Paulo Pereira Mais
Paulo Pereira, do Estúdio Luzia, dá uma dica para fotografar carnes (algo que Mark Zuckerberg, dono do Facebook, não seguiu, como você verá ainda neste álbum). ''É importante que seu corte esteja aparecendo, que se veja sua textura, seu suco, e não um pedaço de carne já seco, frio, sem brilho. São detalhes que fazem diferença no final'' Paulo Pereira Mais
Fica a dica de Paulo Pereira, do Estúdio Luzia: uma boa foto de comida desperta a vontade de comer o prato fotografado. A imagem aí de cima -- que faz você querer a sobremesa antes do prato principal -- é dele Paulo Pereira Mais
A pedido do UOL Tecnologia, o fotógrafo Paulo Pereira analisou a imagem acima, postada no Instagram. ''Os ingredientes formam uma grande confusão, parecendo que tudo foi revirado e jogado no prato. Além disso, há uma travessa ao lado direito que, assim como os objetos ao fundo da foto, não precisavam estar lá.'' A dica aqui é melhorar a produção, excluindo informações desnecessárias. ''Há uma luz favorável à apresentação do prato, mas que não conseguiu ajudar muito por causa dos outros problemas'' Reprodução/Webstagram Mais
A pedido do UOL Tecnologia, o fotógrafo Paulo Pereira analisou a imagem acima, postada no Instagram. Ele elogia a tentativa de desfoque do fundo, que ajuda a destacar a parte principal da cena. O ponto negativo vai para a falta de cuidados com a produção: muita cobertura escorrendo por fora da taça e chegando até o pratinho. ''A parte de cima, bem feita, não condiz com a de baixo. Parecem duas fotos'', define. O fotógrafo também destaca esse canudo do lado esquerdo e um objeto marrom sobre a mesa: é importante retirar objetos que não se explicam na foto Reprodução/Webstagram Mais
A pedido do UOL Tecnologia, o fotógrafo Paulo Pereira analisou a imagem acima, postada no Instagram. O ângulo foi aprovado: ''Quando não dá certo de ângulo algum, faça de cima. É uma ótima opção para apresentar o prato de forma quase didática: tudo pode ser visto'', explica. Um contratempo para os viciados em dividir seus pratos nas redes sociais: o fotógrafo afirma que a foto do celular pode reduzir a perda do brilho e das texturas, pois o aparelho não funciona bem para determinadas condições de luz Reprodução/Webstagram Mais
A pedido do UOL Tecnologia, o fotógrafo Paulo Pereira analisou a imagem acima, postada no Instagram. ''Primeiramente, vale observar se há uma frente no prato, um ângulo frontal. Aqui nesta foto, não temos essa noção. Não sabemos, inclusive, se ela está de cima, de frente, de lado: tudo vira um grande monte de comida, sem visão do contexto e do prato onde os alimentos estão.'' Pode valer aqui a dica do slide anterior: fazer o registro de cima. Pereira também critica o flash direto no prato, que corta o clima proporcionado pela luz do ambiente. Em resumo, ''não transmite a menor vontade de comer'', nas palavras do especialista Reprodução/Webstagram Mais
Tadeu Brunelli, do estúdio TB Foto, fez o registro acima com equipamento profissional. Sua dica, que também serve para os amadores com celular em punho, é procurar um fundo do ambiente que seja neutro, sem muita interferência. ''Repetições [como essa acima] são interessantes, pois não ficam monótonas e criam uma textura, criando um cenário sem brigar com o alimento'' Tadeu Brunelli Mais
Tadeu Brunelli, do estúdio TB Foto, fez o registro acima com equipamento profissional. A dica que também vale para amadores é tomar cuidado para não tirar o alimento do quadro, mesmo que fique desfocado pela proximidade que ele está em relação à câmera. ''O prato, sim, pode ser cortado. O importante é fazer de tudo para preservar o alimento, senão é como fotografar uma pessoa com os braços abertos e cortar as mãos'', brinca Tadeu Brunelli Mais
Tadeu Brunelli, do estúdio TB Foto e autor da foto acima, ensina: ''quando possível, tente documentar alguma ação que possa dar vida, movimento, interação. Isso traz proximidade e quase sempre tira um suspiro ou um 'que delícia''' Tadeu Brunelli Mais
A pedido do UOL Tecnologia, o fotógrafo Tadeu Brunelli analisou a imagem acima, postada no Instagram. ''Isso é tudo menos comida. Não dá para entender nada. Cortou a comida, muito vermelho, enfim... Não tenho a menor ideia do que seja isso, apenas reconheço o cuscuz marroquino.'' Brunelli ressalta que muitas vezes a comida pode ser deliciosa, mas não fotogênica. E sugere que o fotógrafo deve fazer o registro sem fome, pois assim seu senso crítico estará mais apurado Reprodução/Webstagram Mais
A pedido do UOL Tecnologia, o fotógrafo Tadeu Brunelli analisou a imagem acima, postada no Instagram. Aqui, o recado é simples: ''Não aplique filtros que tragam envelhecimento para a foto, pois ninguém vai querer comida com cara de velha, cara de vintage'', brinca Reprodução/Webstagram Mais
A pedido do UOL Tecnologia, o fotógrafo Tadeu Brunelli analisou a imagem acima, postada no Instagram. Esta foto, segundo ele, agradaria a qualquer americano do Estado da Flórida (onde se come muita gordura) há dez anos, mas hoje pegaria até mal um prato desses. ''Não que a gente não coma, mas fotografar e mostrar para todo mundo já é demais.'' Ele destaca aqui o corte feito para encaixar o prato na foto, que não é dos melhores (veja slide 17) Reprodução/Webstagram Mais
A pedido do UOL Tecnologia, o fotógrafo Tadeu Brunelli analisou a imagem acima, postada no Instagram. ''Um amontoado de legumes com excesso de vermelhos, onde até o verde se transformou em vermelho'', brinca. Aqui vale a máxima de Brunelli, de que muitas vezes a comida pode ser deliciosa, mas não fotogênica Reprodução/Webstagram Mais
A pedido do UOL Tecnologia, o fotógrafo Tadeu Brunelli analisou a imagem acima, postada no Instagram. Para ele, o excesso de brilho passa a impressão de óleo diesel. ''É importante evitar o reflexo direto sobre o alimento, que traz uma alteração de cor'', explica Reprodução/Webstagram Mais
A pedido do UOL Tecnologia, o fotógrafo Tadeu Brunelli analisou a imagem acima, postada no Instagram. O problema deste exemplo, segundo ele, foi a vibração na hora do clique: ''Tenha firmeza nas mãos ao fotografar. Basta clicar com a força do dedo, evite usar a força do braço'', ensina. Se não fosse a vibração capturada pela imagem acima, ele acredita que ela poderia ter dado certo Reprodução/Webstagram Mais
Fotografar comida não é simples, e as imagens (ruins) postadas nas redes sociais estão aí para provar isso. Nem Mark Zuckerberg, diretor-executivo do Facebook, escapa de divulgar fotos nada apetitosas de seus pratos. Recentemente, ele postou a imagem destacada acima -- que teria sido registrada em sua própria churrasqueira -- para divulgar um aplicativo que mostra grelhados feitos em todo o mundo. Parece delicioso, só que não Reprodução/Facebook Mais

Ai, delícia: fotógrafos ensinam a melhorar fotos de comida postadas nas redes sociais

Últimos álbuns de Tecnologia



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos