iOS e Android são colocados frente a frente; acompanhe comparativo dos sistemas móveis

Por Matt Bolton
Do Tech Radar

Quando o assunto é o mundo dos portáteis, especialmente tablets e smartphones, Google e Apple são os reis da indústria. Alguns dos mais comentados produtos de ambas as companhias são, respectivamente, Android 4.0 (que foi chamado de Ice Cream Sandwich, durante sua fase de desenvolvimento) e iOS 5.

Para visualizar ambos os sistemas, confira os álbuns abaixo:

O iOS 5 adicionou características à interface do sistema. Além disso, conta com um renovado sistema de notificação, o iMessage, entre outros pontos. O Android 4.0 conta com mudanças mais visíveis: tem a aparência futurista (semelhante ao 3.0, chamado também de Honeycomb) e remove completamente a necessidade do dispositivo em ter botões físicos.

Veja a seguir, em detalhes, os sistemas iOS 5 e Android 4.

Interface

A grande novidade em relação à aparência fica por conta do Ice Cream Sandwich. Smartphones e outros portáteis que carreguem o sistema Android contam com interface futurista e, agora uma pegada mais profissional, dando a impressão de um sistema operacional de negócios, voltado a executivos. Foram criadas até mesmo novas fontes só para se adequar a esse novo modelo.

Com exceção das novas linhas azuis que podem ser vistas na tela do novo sistema, a inclusão de alguns botões (como Voltar, Home e Aplicativos Recentes) é uma das principais diferenças vistas na interface do Android 4.0.

Em Home, há uma lista de favoritos, que fica na parte inferior da página. Isso torna o sistema do Google parecido com os docks presentes no iOS.

O Android 4.0 também dá a opção de redimensionar os widgets na Home. Dessa forma, você pode escolher quantos ícones deseja que fique a mostra. Outra nova característica é poder organizar apps em pastas, apenas arrastando-os para cima delas.

A principal diferença do iOS 5 para a versão anterior são as notificações na tela Lock (de bloqueio) e a adição do Notification Center, uma área de notificações que é acessada quando se arrasta a barra superior para baixo - de forma similar como ocorre no Android, que ao ser “puxada” com o dedo na tela, mostra itens como mensagens, chamadas perdidas, correios de voz, aplicativos que estão sendo baixados.

  • Reprodução

    No Android, há a opção de redimensionar os widgets na Home; o iOS ganhou uma área de notificações que é acessada quando se arrasta a barra superior para baixo

Multitarefa

Outro aspecto do Android está relacionado à multitarefa (ou multitasking). Quando o “Running Apps” for selecionado, uma lista com os aplicativos usados recentemente aparecerá para o usuário, mostrando como e quando foram utilizados. É possível alternar entre apps para se livrar da lista de exibição de aplicativos, o que fechará muitas de suas funções.

O sistema da Apple tem muito em comum nesse quesito. Com um duplo toque no botão Home, a barra Multitasking é acionada e exibe na tela os ícones dos últimos apps abertos ou utilizados. Para fechá-los, é só apertar e segurar.

A grande diferença entre os sistemas, sob esse prisma, não é aparente. Trata-se de um recurso não visual. Os aplicativos Android são capazes de algo parecido com o que ocorre em PCs, quando o assunto é multitarefa: eles são utilizados ou manipulados em segundo plano. No iOS, por outro lado, os aplicativos que não estão sendo utilizados ficam em estado de suspensão (a menos que o usuário recorra a funções específicas de background, que a Apple eventualmente permite).

O sistema do Google possibilita maior liberdade e flexibilidade aos usuários. O da Apple foi projetado para evitar quaisquer problemas de desempenho dos aplicativos. Foi também desenhado para preservar a vida útil da bateria dos aparelhos.

  • Reprodução

    Os aplicativos Android são capazes de algo parecido com o que ocorre em PCs: são utilizados ou manipulados em 2º plano; no iOS, os aplicativos já utilizados ficam em estado de suspensão

Personalização

A opção de personalização que o Android proporciona é um dos pontos fortes do sistema. Seus widgets redimensionáveis são uma das principais características novas da versão. É possível mexer em seu tamanho, em seu posicionamento, na quantidade de informação exibida.

No quesito personalização, o sistema da Apple proporciona uma abertura muito menor, quase nenhuma, ao usuário. É possível mudar alguns itens da Home e das telas de bloqueio (lock screens), e é isso. O próprio iOS 5 decide qual é a melhor forma para os seus aplicativos ficarem a mostra. Não é, portanto, a melhor interface para quem gosta de poder alterar vários aspectos do telefone ou do tablet.

Web, mensagens e redes sociais

O iPad 2 com iOS 5 é um dos aparelhos mais rápidos do planeta quando o assunto é navegar na internet. Tablets com Android 3.0 chegam muito perto do eletrônico da Apple, mas ainda assim estão atrás.

Quando a coisa muda para os smartphones, a vantagem da Apple sobre a concorrência tem sido maior. Bem maior. Até aqui. Isso porque o Ice Cream Sandwich aparentemente muda essa realidade, já que consegue fazer uso quase total da capacidade dos processadores dual core, que equipam os mais modernos telefones inteligentes do mercado.

Ainda não se sabe qual velocidade o sistema do Google conseguirá atingir (mesmo porque isso depende muito do hardware do telefone). O TechRadar acredita, entretanto, que ele ficará lado a lado na disputa com o iOS 5 quando o assunto for rapidez.

O Android continua com suporte a Adobe Flash, o qual não existe no iOS. Se isso é vantajoso ou não, depende de como é o seu uso da web.

Ambos os sistemas operacionais têm muitas opções quanto a e-mails, assim como diversas possibilidades de configurações de conta dos webmails. O suporte a Exchange está presente nas duas plataformas.

O iOS 5 permite que quaisquer usuários que tenham dispositivos com o sistema operacional da Apple consigam trocar mensagens, fotos e vídeos, de forma gratuita utilizando o iMessage feito para iPhones e iPads. A marca também integrou o Twitter ao sistema, para que seja possível utilizar a rede social facilmente e, ainda, fundir nomes e fotos da rede social ao Contacts. A chamada de vídeo por meio do FaceTime, a outros dispositivos com iOS, também está presente.

O Android 4.0 vem com algumas propriedades ligadas ao Google+, como interação com mensagens e suporte ao Google Hangouts (o qual oferece função similar ao iMessage da Apple e atributos do FaceTime). Para que tudo funcione com perfeição, seus contatos e amigos devem estar logados ao Google Plus.

Apps

O iOS 5 apresenta alguns novos aplicativos em relação à versão anterior e algumas versões atualizadas de apps no mundo Apple. O Reminders (para tarefas) e o Newsstand (que permite ler e organizar revistas) são destaques. A App Store, da Apple, ainda é melhor do que o Google Play (também conhecido como Android Market), já que oferece aplicativos de alto padrão, enquanto a lojinha do robozinho verde é sucinta a diversos apps de procedência duvidosa.

Na App Store é muito fácil encontrar diversos aplicativos (para iPad, iPhone e iPod Touch) que funcionam bem nos dispositivos da empresa da maçã. Por meio do iCloud, é possível comprá-los pelo dispositivo, ou pelo computador pessoal, e baixá-lo automaticamente onde mais desejar.

O Android também oferece compras de aplicativos e seu uso por meio da nuvem há algum tempo. Um aplicativo realmente impressionante, que dispensa meios físicos para compartilhar conteúdo e pode ser usado no Ice Cream Sandwich, é o Android Beam. Ele permite uma conexão NFC (Near Field Communication), com a qual é possível transferir dados diversos entre dois aparelhos.

O Google afirma que não quer estabelecer diferenças entre aplicativos para tablet ou smartphones em seu Google Play. De acordo com a companhia, a única diferença entre esses dois tipos de apps é o tamanho da tela, somente isso. Pode ser verdade. Mas já é possível saber o que aplicativos mais inovadores do iPad podem fazer mais com o espaço extra, apenas por ter uma interface maior.

Quanto a câmeras, tanto iOS como Android possuem upgrades em suas últimas versões. No sistema da Apple, há algumas opções de edição de imagem e alguns outros atributos, com foco na velocidade (iPhone 4S). O novo Android conta com novo editor de imagem, focado em proporcionar mais velocidade ao tirar as fotos. Ele oferece ainda a possibilidade de inserir efeitos de tempo real, como substituir o fundo durante a captura.

Especialidades

Ambos os sistemas têm vantagens sobre o concorrente.

No caso do iPhone 4S, por exemplo, foi apresentado o Siri, que pode entender comandos de voz. O Android possui suporte a fala, mas não chega a ter tecnologia tão avançada como a do concorrente.

A grande vantagem do Android sempre foi a pré-instalação de diversos apps do Google. Google Navigation, Gmail, Goggles, Tradutor são alguns dos nomes imprescindíveis que já desembarcam com o sistema.

Updates

O Android sempre se mostrou meio resistente a atualizações (a menos que o dispositivo seja um ‘puro Google’, como Nexus S). O maior problema é o atraso: entre o Google lançar uma atualização e as empresas a programarem nos aparelhos há grande demora.

Outro problema, no final das contas, é que muitos telefones simplesmente não podem ser atualizados. Para o usuário que desejar atualizar o sistema operacional para 4.0, será necessário descobrir se o aparelho aceita o upgrade.

Com os dispositivos da Apple, a empresa já especifica quais aparelhos suportam as atualizações e quando se pode fazer o download da nova versão. O iOS 5, por exemplo, é aceito no iPhones 3GS, iPhone 4, iPhone 4S, iPad, iPad 2, e os dois modelos mais recentes do iPod Touch.

A partir dessa versão do iOS, todas as atualizações serão feitas sem a necessidade de cabos. O sistema Android tem operado dessa forma há algum tempo.

O Vencedor é...

Não é simples escolher um vencedor entre os dois. A Apple tem um ''ecossistema'' de aplicativos mais vibrante. E não tem a possibilidade de personalização que o Android proporciona e que os usuários tanto gostam.

O sistema multitarefa do Android é muito mais flexível. Ele possui funções e oferece desempenho superior aos dispositivos com iOS.

O sistema do Google tem suporte a Flash. Tal característica pode ocasionar um carregamento de sites mais lento do que o do concorrente - e pode ser desnecessário na maior parte das páginas móveis de internet.

Dessa forma, é impossível pontuar qual é o melhor sistema. A ideia aqui era oferecer um texto em que o leitor pudesse tirar suas próprias conclusões.

De qualquer forma, independentemente de opiniões pessoais, sem dúvida os mercados de smartphones e de tablets estão avançando em um ritmo incrível nos últimos tempos. 

Tradutor: Aline Mariano e Sérgio Vinícius


Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos