Criador da "Dilma Bolada", carioca consegue até emprego com perfil falso da presidente

Guilherme Tagiaroli
Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Capa da fan page da "Dilma Bolada" no Facebook; falsa presidente também tem perfil no Twitter

    Capa da fan page da "Dilma Bolada" no Facebook; falsa presidente também tem perfil no Twitter

Estabelecer um feriado por meio de um tuíte-decreto ou descrever uma conversa com chefes de Estado como o “Skype das Lindas” não é o tipo de ação que se espera da presidente Dilma Rousseff. No entanto, este é o tipo de governo proposto pelo carioca Jeferson Monteiro, 22, que criou um perfil falso da presidente chamado “Dilma Bolada”.

  • Arquivo Pessoal

    Jeferson Monteiro, 22, é o responsável pelo perfil falso "Dilma Bolada" no Twitter e no Facebook

A brincadeira, que começou no Twitter  durante as eleições de 2010, hoje soma 60 mil seguidores naquela que foi premiada em maio a melhor conta falsa de uma personalidade pelo Shorty Awards, premiação internacional que seleciona os melhores perfis do microblog. Atualmente, a versão sem noção da presidente também conta com uma fan page no Facebook onde são postadas “As Aventuras da Dilma Bolada.”

Entre uma canetada presidencial e outra, Monteiro, que começou o perfil apenas por brincadeira, conseguiu até emprego com a notoriedade do perfil. “A dona de uma produtora de filmes aqui no Rio gostou muito da página e fez o convite para eu atuar com criação de conteúdo”, disse em entrevista ao UOL Tecnologia. Confira abaixo trechos da entrevista por e-mail em que o estudante de administração conta sobre sua Dilma virtual.

UOL Tecnologia: Qual é o nome e idade da verdadeira “Dilma Bolada”?

Jeferson Monteiro: Até digo, mas não vai adiantar muito. Isso porque a “Dilma Bolada” certamente vai falar que é mentira e que eu sou um louco tentando se passar por ela. Mas meu nome é Jeferson Monteiro e tenho 22 anos.

UOL Tecnologia: Por que um perfil falso da presidente?

Monteiro: Na verdade, a criação não teve um grande motivo. Quando fiz o perfil, no período eleitoral de 2010, não foi nada muito planejado: fiz por diversão. Tanto que, no começo, ficava lá no Twitter "jogado". Eu atualizava uma vez na vida outra na morte.

A “Dilma Bolada” foi sendo moldada aos poucos. Apesar de a personagem ter uma identidade bem peculiar, nem sempre foi assim. Comecei a perceber que a “Dilma Bolada” era lida, alvo de interação de alguns internautas e que as pessoas gostavam. Isso ajudou a moldar o perfil dela e, obviamente, passei a prestar atenção na presidente.

UOL Tecnologia: Já ganhou dinheiro com o perfil?

Monteiro: Nunca utilizei o personagem para fins comerciais, apesar de se tratar de ficção e não ter vínculo algum com a presidenta. Acredito que ainda não chegou o momento de fazer inserções comerciais. E, se chegar, deve ser algo bem pensado e adequado para não perder a essência.

Skype das Lindas®

Acabo de sair do Skype... Estava lá online no chat do Skype das Lindas®, um grupo que euzinha criei pra poder conversar com as amigas influentes de todo o mundo. Então, hoje o assunto não podia ser outro né: a Lista da Forbes. Estava online eu, Michelle Obama, Hillary, Angela Merkel, Cristina Kirchner, Graça Foster, Beth, Gisele, J.K. Rowling, Beyoncé, Shakira e a Oprah.

Da sessão "As Aventuras da Dilma Bolada" do Facebook

Hoje trabalho numa produtora de filmes aqui no Rio. A dona gostou muito da página da “Dilma Bolada” e fez o convite para eu atuar com criação de conteúdo.

UOL Tecnologia: Você se inspirou em algum perfil?

Monteiro: Não. A grande inspiração da “Dilma Bolada” é a própria Dilma, a Rousseff.

Mas algumas inserções são inspiradas em duas personagens. As hashtags utilizadas no Facebook foram inspiradas na mania lançada pelo perfil Thayanni Rafaely [personagem do Twitter que posta como se fosse uma piriguete]. Já o famoso "ÊTA PRESIDENTA MARAVILHOSA!", bem como todos os outros "ÊTAs" são bordões adaptados da Cleycianne [personagem do Twitter que age como uma falsa evangélica].

UOL Tecnologia: Por imitar a presidente do Brasil, já houve contato de alguém do Congresso?

Monteiro: Nunca. O único problema que tive foi a exclusão da fan page do Facebook em abril, pela própria rede social. Alguém comentou sobre a página em uma rádio e ela foi removida.

Até hoje não entendi o real motivo de terem feito isso. Na época, o Palácio do Planalto afirmou que não tinha nada a ver com o caso. Até porque muitos funcionários do próprio Planalto gostam da “Dilma Bolada”.

UOL Tecnologia: As pessoas que interagem com a “Dilma Bolada” sabem da brincadeira ou há quem acredite se tratar da presidente?

Monteiro: De uns tempos pra cá os “chatos” aumentaram. É inevitável que, com o crescimento, passem a surgir críticas positivas e negativas. Não me incomodo com as pessoas que acham que a página realmente é da Dilma (acredite, tem gente que realmente acha isso). Nesses casos é fácil: basta mandar uma mensagem comunicando que é uma página de humor. Às vezes, os próprios fãs do perfil avisam.

Chego no trampo e ouço no corredor o CD do Supla no último volume vindo do gabinete da Marta... Sorte que hoje é sexta-feira, senão estaria boladíssima!

Postagem de "Dilma Bolada", sobre a nomeação de Marta Suplicy para o Ministério da Cultura

Quando digo “chatos”, refiro-me às pessoas contrárias ao governo, que têm motivações políticas ou simplesmente não gostam da Dilma. Eles sabem que é uma página de humor e insistem em transformar aquele espaço em um palanque político.

Isso incomoda um pouco. Geralmente, quem gosta costuma defender a personagem, uma vez que não faço política. Sou apartidário. É um espaço para divertir, entreter e algumas vezes informar. Tento ser o mais imparcial possível.

UOL Tecnologia: Como a “Dilma Bolada” influenciou sua vida? Você acompanha política com frequência?

Monteiro: Confesso que passei a acompanhar mais a fundo depois da sátira, pois não gosto de falar sobre o que eu não sei. Antes gostava de me manter informado só por desencargo de consciência. E acho que a maioria da população do país é assim: política é chato, é um assunto desinteressante e atualmente todos andam desacreditados.

Por isso também senti a necessidade de trazer coisas reais para as redes sociais com um tom irônico e humorístico. No entanto, baseado em informações reais.

UOL Tecnologia: O que você acha da Dilma como política?

Monteiro: Acho que ela é uma boa política. Não é perfeita, mas acho que está surpreendendo muita gente de forma positiva e fico feliz com isso. Não por eu ter uma página que trata dela, mas como cidadão. Torcer para que determinado governo “desande” é uma burrice. A Dilma nos representa e será responsável por boa parte do nosso futuro.

UOL Tecnologia: Houve recentemente uma polêmica com o perfil da Gina Indelicada no Facebook, que foi acusado de plagiar piadas. Você é quem cria o conteúdo ou seleciona as piadas e as adapta?

Monteiro: O conteúdo da minha página é 100% original. Às vezes prefiro não postar nada ou postar algo que não seja muito bom do que "adaptar" piadas dos outros.  Tirando os bordões que comentei que eu uso, há bastante contribuição de leitores. No entanto, sempre dou crédito a quem envia.

Acho que grande parte do sucesso da página também se dá por isso. Oferecer algo criativo e diferente do que existe hoje na internet é um importante diferencial.

Atualmente, as pessoas são bombardeadas de conteúdo repetitivo e imagens simples com uma frase. Gosto de escrever, entreter as pessoas, seja com a legenda de uma foto ou os longos textos que crio na série "As Aventuras de Dilma Bolada". Os fãs da página são críticos.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos