Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://tecnologia.uol.com.br/album/2014/01/25/eletronicos-vestiveis-relogios-oculos-e-roupas-inteligentes-prometem-ajuda-lo-no-cotidiano.htm
  • totalImagens: 40
  • fotoInicial: 38
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20140125060000
    • Guia de produtos [16837]; gadgets [61059];
Fotos

A ideia de vestir eletrônicos não é novidade (afinal, os relógios de pulso existem há bastante tempo), mas a tendência tem ganhado força com a chegada de dispositivos cada vez mais inteligentes. Esse mercado pode passar de US$ 1,4 bilhão em 2013 para US$ 19 bilhões em 2018, segundo a consultoria Juniper Research. Além de ajudar no cotidiano do usuário (mostrando dados sobre atividade física, por exemplo), os eletrônicos vestíveis podem se conectar a smartphones, tablets e computadores. Veja a seguir o que podem fazer óculos, relógios, pulseiras, câmeras e até roupas 'inteligentes' Arte/UOL Mais

Quando foi apresentado em meados de 2012, o Google Glass -- óculos futuristas com câmera e conexão à internet -- despertou fascínio (pela utilidade) e desprezo (pelo visual excêntrico). Os óculos são capazes de transmitir vídeo ao vivo, com áudio (tem um pequeno microfone embutido), além de ter um pequeno alto-falante, para que a pessoa possa se comunicar com os outros. Ele vem ainda com sensores como giroscópio, acelerômetro e bússola Frederic J. Brown/AFP Mais

O Google Glass já ajudou a transmitir cirurgia, fez coberturas jornalísticas, desfilou na passarela e até gravou vídeo pornô. Por enquanto, o gadget só pode ser comprado por desenvolvedores de software (custa cerca de R$ 3.500); a venda para o público em geral ainda não tem data definida Divulgação Mais

O cirurgião norte-americano Christopher Kaeding usou o Google Glass para transmitir ao vivo um procedimento cirúrgico no joelho de um paciente de 47 anos a colegas e estudantes da Universidade Estadual de Ohio. A universidade espera que no futuro o Glass possa ser comando por voz para pedidos de imagens de raio-x e tomografias, relatórios de doenças e outros materiais de referência Divulgação Mais

A Epson prometeu para março o lançamento dos óculos inteligentes Moverio BT-200 por US$ 699 (cerca de R$ 1.665) - ainda exclusivo para desenvolvedores. A alternativa da Epson é visivelmente maior que a do Google, mas a empresa não divulga seu peso ou dimensões. A segunda geração do Moverio (o BT-100 era ainda maior) promete criar ''uma mistura dos mundos físico e digital'' baseada na realidade aumentada Robyn Beck/AFP Mais

A Epson prometeu para março o lançamento dos óculos inteligentes Moverio BT-200 por US$ 699 (cerca de R$ 1.665) - ainda exclusivo para desenvolvedores. A alternativa da Epson é visivelmente maior que a do Google, mas a empresa não divulga seu peso ou dimensões. A segunda geração do Moverio (o BT-100 era ainda maior) promete criar ''uma mistura dos mundos físico e digital'' baseada na realidade aumentada Robyn Beck/AFP Mais

A fabricante na área médica Evena criou Eyes-On, óculos que facilitam a visualização das veias de pacientes para aplicação de injeções e cateteres. Segundo o ''The Verge'', o aparelho funciona pulsando quatro tipos diferentes de luz que são combinadas em uma única imagem, fazendo as veias se destacarem (ficam mais escuras) na visualização. O Eyes-On será vendido nos EUA a partir de abril por US$ 10 mil (R$ 23 mil) Divulgação Mais

A fabricante na área médica Evena criou Eyes-On, óculos que facilitam a visualização das veias de pacientes para aplicação de injeções e cateteres. Segundo o ''The Verge'', o aparelho funciona pulsando quatro tipos diferentes de luz que são combinadas em uma única imagem, fazendo as veias se destacarem (ficam mais escuras) na visualização. O Eyes-On será vendido nos EUA a partir de abril por US$ 10 mil (R$ 23 mil) Reprodução/The Verge Mais

Em vez de jogar com um controle e uma tela de TV, a proposta do Oculus Rift é você ''vestir'' o console do game. Os movimentos da cabeça interagem na visão do cenário pelo jogador. Oferecido inicialmente no site de financiamento coletivo Kickstarter, o Oculus Rift era vendido para quem doava R$ 275 ao projeto. Agora, centenas de empresas estão desenvolvendo games para o acessório que, inicialmente, será compatível com o PC e dispositivos Android Gus Ruelas/Reuters Mais

Em vez de jogar com um controle e uma tela de TV, a proposta do Oculus Rift é você ''vestir'' o console do game. Os movimentos da cabeça interagem na visão do cenário pelo jogador. Oferecido inicialmente no site de financiamento coletivo Kickstarter, o Oculus Rift era vendido para quem doava R$ 275 ao projeto. Agora, centenas de empresas estão desenvolvendo games para o acessório que, inicialmente, será compatível com o PC e dispositivos Android Divulgação Mais

Os relógios poderiam ser chamados de 'os primeiros eletrônicos vestíveis do mundo'. Agora, os smartwatches ganharam integração com smartphones e tablets, ajudanndo a atender ligações, checar mensagens e até tirar fotos. Acima, o relógio Galaxy Gear, da Samsung, que possui processador de 800 MHz, uma tela de 1,63 polegada, 4 GB de memória interna e conexão Bluetooth (pela qual o dispositivo se conecta com um smartphone). O relógio ainda vem com uma câmera de 1,3 megapixel com função de autofoco. No Brasil, custa R$ 1.300 Tobias Schwarz/Reuters Mais

O relógio Galaxy Gear, da Samsung, possui processador de 800 MHz, uma tela de 1,63 polegada, 4 GB de memória interna e conexão Bluetooth (pela qual o dispositivo se conecta com um smartphone). O relógio ainda vem com uma câmera de 1,3 megapixel com função de autofoco. No Brasil, custa R$ 1.300 John MacDougall/AFP Mais

O Pebble surgiu de um projeto que arrecadou US$ 10 milhões (R$ 23 milhões) no site de financiamento coletivo Kickstarter. Com uma tela em preto e branco de 1,26 polegada de e-ink (conhecida como ''papel digital'', usada em leitores digitais), o relógio pode receber SMS, atender ligações, além de tocar e pausar músicas do celular. Quem pratica exercícios pode controlar a distância e tempo da corrida ou pedalada. Também dá para escolher diferentes telas iniciais do visor das horas. Já é possível fazer a pré-encomenda do Pebble pelo site da fabricante. Preço: US$ 150 (R$ 353) Divulgação Mais

O Smartwatch 2 da Sony vem com tela touch de 1,6 polegada de LCD, usa sistema Android 4.2 e tecnologia NFC (Near Field Communications). Com ela, o usuário aproxima o gadget do smartphone Android e baixa aplicativos como despertador, cronômetro, Twitter e Facebook. O relógio atende ligações com um toque na tela, tira fotos remotamente, controla o player de música e mostra e-mails já baixados do celular. Além disso, ele é resistente à água e pode ser recarregado via USB. No Brasil, tem preço sugerido de R$ 999 Divulgação Mais

A empresa Wellograph criou um relógio que disponibiliza informações relevantes durante a prática esportiva. O acessório monitora os batimentos cardíacos, as calorias gastas, quantos passos o usuário deu e outras informações ligadas à saúde. A novidade será lançada em abril com preço sugerido de US$ 320 (cerca de R$ 763) nos EUA Yang Lei/Xinhua Mais

O Neptune Pine não é apenas um smartwatch. Ele é um 'smartwatchão'. Isso porque o aparelho tem uma tela de 2,4 polegadas (o da Samsung, por exemplo, tem 1,63''). Fora o tamanho avantajado, ele possui Wi-Fi, Bluetooth, internet 2G/3G (com chip GSM), câmera de 5 megapixels e sistema Android 4.3. Não há previsão de lançamento ou preço definido Divulgação/Reprodução/Gizmodo Mais

Entre os eletrônicos vestíveis também estão as pulseiras. Acima, a LG Lifeband Touch é capaz de monitorar exercícios físicos. O gadget, que mostra calorias gastas, distância percorrida e número de passos dados, é compatível com iOS e Android. Preço e data de lançamento ainda não foram revelados Britta Pedersen/EFE Mais

Entre os eletrônicos vestíveis também estão as pulseiras. Acima, a LG Lifeband Touch é capaz de monitorar exercícios físicos. O gadget, que mostra calorias gastas, distância percorrida e número de passos dados, é compatível com iOS e Android. Preço e data de lançamento ainda não foram revelados Divulgação Mais

A Sony SmartBand funciona junto com o gadget Sony Core. O Core pode ser inserido na pulseira e ajuda a monitorar a atividade física e de entretenimento do usuário. Ele vibra para avisar sobre ligações e mensagens no celular. Também ajuda a fazer marcações com um toque durante rotinas diárias que o usuário pode acessar posteriormente pelo aplicativo Lifelog. O Core custará € 99 (R$ 320). A Sony ainda não definiu o preço das pulseiras. Os produtos começam a ser vendido no primeiro trimestre do ano David Becker/Getty Images/AFP Mais

A Sony SmartBand funciona junto com o gadget Sony Core. O Core pode ser inserido na pulseira e ajuda a monitorar a atividade física e de entretenimento do usuário. Ele vibra para avisar sobre ligações e mensagens no celular. Também ajuda a fazer marcações com um toque durante rotinas diárias que o usuário pode acessar posteriormente pelo aplicativo Lifelog. O Core custará € 99 (R$ 320). A Sony ainda não definiu o preço das pulseiras. Os produtos começam a ser vendido no primeiro trimestre do ano Justin Sullivan/AFP Mais

Mais conhecida como fabricante de eletrônicos para gamers, a Razer lançou uma pulseira inteligente. A Razer Nabu mostra notificações do smartphone (como mensagens de texto e ligações) em duas telas diferentes: a pública (na parte de cima do pulso) e a privada (parte de baixo). Ela também coleta informações durante exercícios físicos (número de passos, distância percorrida e localização). Ela será vendida no final do primeiro trimestre. Para desenvolvedores, ela custa US$ 49 (R$ 116); o preço para varejo não foi anunciado Jae C. Hong/AP Mais

Mais conhecida como fabricante de eletrônicos para gamers, a Razer lançou uma pulseira inteligente. A Razer Nabu mostra notificações do smartphone (como mensagens de texto e ligações) em duas telas diferentes: a pública (na parte de cima do pulso) e a privada (parte de baixo). Ela também coleta informações durante exercícios físicos (número de passos, distância percorrida e localização). Ela será vendida no final do primeiro trimestre. Para desenvolvedores, ela custa US$ 49 (R$ 116); o preço para varejo não foi anunciado Divulgação Mais

O bracelete June, desenhado pela francesa Netatmo, permite controlar a exposição ao sol em tempo real, enquanto parece uma pulseira com pedras preciosas e 'estilosa'. Se o usuário toma um café da manhã ao ar livre todos os dias, por exemplo, o dispositivo pode dizer que passa tempo demais ao sol Julie Jacobson/AP Mais

Os gadgets Fitbit são outro exemplo de eletrônicos usados para vestir. Eles podem monitorar a quantidade de passos dada, a distância percorrida pelo usuário, calorias queimadas e degraus que ele subiu. Durante a noite, passam a monitorar a qualidade do sono e vem com um despertador que vibra. A ideia é usá-los 24 horas por dia para que o usuário saiba o nível de atividade física. Os dados são sincronizados via Bluetooth com smartphones (iOS e Android). O modelo acima, chamado Force, é vendido nos EUA por US$ 130 (R$ 313) Divulgação Mais

Os gadgets Fitbit são outro exemplo de eletrônicos usados para vestir. Eles podem monitorar a quantidade de passos dada, a distância percorrida pelo usuário, calorias queimadas e degraus que ele subiu. Durante a noite, passam a monitorar a qualidade do sono e vem com um despertador que vibra. A ideia é usá-los 24 horas por dia para que o usuário saiba o nível de atividade física. Os dados são sincronizados via Bluetooth com smartphones (iOS e Android). Acima, o clipe Fitbit One, vendido a US$ 100 (R$ 240) Divulgação Mais

Os gadgets Fitbit são outro exemplo de eletrônicos usados para vestir. Eles podem monitorar a quantidade de passos dada, a distância percorrida pelo usuário, calorias queimadas e degraus que ele subiu. Durante a noite, passam a monitorar a qualidade do sono e vem com um despertador que vibra. A ideia é usá-los 24 horas por dia para que o usuário saiba o nível de atividade física. Os dados são sincronizados via Bluetooth com smartphones (iOS e Android). Acima, o clipe Zip, vendido a US$ 60 (R$ 140) Divulgação Mais

Já existe gadget vestível até para cachorro. O Whistle é uma espécie de 'Fitbit' feito especialmente para cães. A coleira capta os movimentos do cachorro e envia as informações para o smartphone do dono, indicando se o bicho correu, pulou, andou ou só ficou dormindo no sofá Divulgação Mais

Outro exemplo de eletrônico vestível são as câmeras que podem se acopladas ao corpo ou à roupa. A câmera Autographer (US$ 400 nos EUA; cerca de R$ 950) funciona de forma automática, sem interação com o usuário, e pode ser presa à roupa ou a um colar. O equipamento com 90 mm e 58 gramas tem uma lente ampla, de 136º, que permite capturar quase todo o entorno. Sensores fazem ajustes automáticos para melhorar a qualidade das fotos, que também podem ser clicadas manualmente. O conteúdo é visualizado no celular, via aplicativo. Sua memória interna é de 8 GB Robyn Beck/AFP Mais

A câmera Autographer funciona de forma automática, sem interação com o usuário, e pode ser presa à roupa ou a um colar. O equipamento com 90 mm e 58 gramas tem uma lente ampla, de 136º, que permite capturar quase todo o entorno. Sensores fazem ajustes automáticos para melhorar a qualidade das fotos, que também podem ser clicadas manualmente. O conteúdo é visualizado no celular, via aplicativo. Sua memória interna é de 8 GB Robyn Beck/AFP Mais

Outra câmera vestível é a Panasonic HX-A100, classificada pela própria empresa como ''vestível''. Ela faz vídeos em alta definição (Full HD), é à prova d'água e oferece conexão Wi-Fi, que permite transmissão em tempo real das imagens capturadas. Sua bateria, segundo o fabricante, dura 140 minutos com o Wi-Fi desligado. No material de divulgação, a empresa não especifica dimensões, peso, preço e disponibilidade do produto David Becker/Getty Images/AFP Mais

Outra câmera vestível é a Panasonic HX-A100, classificada pela própria empresa como ''vestível''. Ela faz vídeos em alta definição (Full HD), é à prova d'água e oferece conexão Wi-Fi, que permite transmissão em tempo real das imagens capturadas. Sua bateria, segundo o fabricante, dura 140 minutos com o Wi-Fi desligado. No material de divulgação, a empresa não especifica dimensões, peso, preço e disponibilidade do produto David Becker/Getty Images/AFP Mais

Também na onda dos eletrônicos vestíveis está o Sensoria Fitness Bra, feito pela Heapsylon. O top de ginástica monitora atividades físicas. Ele, segundo a empresa, substitui eletrodos e ajuda a verificar os batimentos cardíacos da usuária de forma confortável. O acessório deve ser usado com um monitor cardíaco da Polar ou da Garmin para acompanhar os resultados em tempo real. Preço sugerido: US$ 60 (R$ 144) AFP/Heapsylon Mais

Também na onda dos eletrônicos vestíveis está o Sensoria Fitness Bra, feito pela Heapsylon. O top de ginástica monitora atividades físicas. Ele, segundo a empresa, substitui eletrodos e ajuda a verificar os batimentos cardíacos da usuária de forma confortável. O acessório deve ser usado com um monitor cardíaco da Polar ou da Garmin para acompanhar os resultados em tempo real. Preço sugerido: US$ 60 (R$ 144) Divulgação/Heapsylon/AFP Mais

O Onesie é uma roupa cheia de sensores que funciona como uma babá eletrônica. Feito pela Rest Devices em parceria com a Intel, o dispositivo tem sensores de respiração, medidor de temperatura e até de posicionamento da criança. As informações são todas enviadas para os pais por meio de um aplicativo para iOS e Android. O aparelho com chip dual-core da Intel ainda não tem data para ser lançado nem preço sugerido Divulgação Mais

Outro gadget vestível é o SmartOne, um pijama para monitorar a criança enquanto ela dorme (os sensores são acoplados à peça de roupa: eles ficam no acessório cinza, localizado no peito do bebê). A novidade, que será lançada no segundo trimestre por US$ 149 (cerca de R$ 360), monitora temperatura, movimentos e respiração do bebê. Os dados e eventuais alertas são enviados para o celular dos pais via tecnologia Bluetooth Steve Marcus/Reuters Mais

Modelo veste camiseta desenvolvida pela desenvolvedora de materiais Toray e pela operadora de telefonia japonesa NTT Docomo. O tecido da Hitoe, como é chamada, contém sensores que permitem medir os batimentos cardíacos do usuário. Segundo a companhia, as informações captadas pela camiseta são enviadas para um smartphone por meio da tecnologia Bluetooth. A roupa deve começar a ser vendida ainda neste ano no Japão, informaram as empresas Yoshikazu Tsuno/AFP Mais

Modelo veste camiseta desenvolvida pela desenvolvedora de materiais Toray e pela operadora de telefonia japonesa NTT Docomo. O tecido da Hitoe, como é chamada, contém sensores que permitem medir os batimentos cardíacos do usuário. Segundo a companhia, as informações captadas pela camiseta são enviadas para um smartphone por meio da tecnologia Bluetooth. A roupa deve começar a ser vendida ainda neste ano no Japão, informaram as empresas Yoshikazu Tsuno/AFP Mais

3.fev.2014 - O Fin é uma espécie de anel que ajuda o usuário a controlar via Bluetooth smartphones e outros dispositivos inteligentes, captando até cinco gestos feitos com a mão. Com isso, dá para passar uma música no celular enquanto você está correndo, por exemplo, ou fazer uma ligação e acionar o viva-voz sem tirar as mãos do volante do carro. Os criadores afirmam que o gadget é especialmente útil para deficientes visuais. A RHL Vision busca financiamento coletivo no Indiegogo para produzir o dispositivo. Clique em MAIS para vê-lo em ação Divulgação Mais

24.mar.2014 - A Panasonic vai lançar no mercado norte-americano a HX-A500, uma câmera vestível à prova de poeira e de água (até 30 metros). Com aspecto excêntrico, ela é uma câmera indicada para vídeos de ação como de esportes radicais e grava imagens em ultradefinição 4k a 25 fps (quadros por segundo). O modelo será vendido a partir de junho por US$ 620 (R$ 1.439) Divulgação Mais

24.nov.2014 - A marca de lingerie norte-americana Victoria's Secret entrou no mercado de gadgets vestíveis com um top feminino que ajuda a medir os batimentos cardíacos durante a atividade física. O item vem com vários eletrodos e o usuário pode colocar a cinta cardíaca que preferir (a empresa só diz que é compatível com os principais modelos disponíveis no mercado). Nos Estados Unidos, o Victoria's Secret heart-rate monitor compatible sport bra (ou sutiã esportivo da Victoria's Secret compatível com monitor cardíaco) custa cerca de US$ 75 Divulgação Mais

Eletrônicos vestíveis: relógios, óculos e roupas 'inteligentes' prometem ajuda no cotidiano

Veja mais: Eletrônicos vestíveis: monte um 'look' futurista

Últimos álbuns de Tecnologia

UOL Cursos Online

Todos os cursos