Profeta do século 21: sete novas previsões de Bill Gates para o futuro

Do UOL, em São Paulo

  • Seth Wenig/ AP

    Gates ganhou fama recente por suas previsões sobre o mundo moderno

    Gates ganhou fama recente por suas previsões sobre o mundo moderno

Além de ser conhecido como um dos homens mais ricos do mundo --atualmente atrás apenas de Jeff Bezos, fundador da Amazon-- e ser o melhor Amigo Secreto que alguém pode ter, Bill Gates ganhou fama por mais uma coisa: profeta do mundo moderno.

Em 1999, Gates publicou um livro com dicas e orientações para empresas de como lidar com seus negócios nos anos 2000, que por tabela indicava a ascensão de redes sociais, serviços de streaming e dispositivos portáteis capazes de interagir com a internet.

Gates não deixou de fazer previsões para o futuro, por isso separamos algumas de suas declarações mais interessantes sobre o que espera que aconteça nas próximas décadas, dos perigos da automatização até o fim de países pobres.

A poliomielite poderá ser erradicada em breve

Nas últimas décadas, uma das principais preocupações da Bill & Melinda Gates Foundation tem sido no investimento em saúde e luta contra doenças graves que afetam a humanidade - em particular, a poliomielite.

Em sua mensagem anual feita em 2013, Gates indicou que, a partir de dados de organizações de medicina e científicas, é possível que a doença seja totalmente erradicada no planeta até 2019.

Além disso, em um discurso feito para a Conferência de Segurança de Munique de 2015, o cofundador da Microsoft indicou que os três países que ainda sofriam com a doença - Afeganistão, Nigéria e Paquistão - tinham conflitos bélicos como principal obstáculo na sua erradicação.

Em 2017, apenas 20 casos da doença foram registrados no mundo: 12 no Afeganistão, e 8 no Paquistão.

Uma pandemia poderá matar mais de 30 milhões em apenas um ano

Por outro lado, durante a Conferência de Munique de 2015, Gates levantou a possibilidade de que a humanidade possa sofrer com uma nova pandemia, que pode levar a dezenas de milhões de mortes.

"Seja por um acaso da natureza ou pelas mãos de um terrorista, epidemiologistas dizem que um patógeno aéreo de alta velocidade pode matar mais de 30 milhões de pessoas em menos de um ano. E eles dizem que há uma probabilidade razoável que o mundo sofra com uma epidemia do tipo nos próximos 10 a 15 anos".

Gates até comparou a situação com a Gripe Espanhola, que há 100 anos atrás matou entre 50 e 100 milhões de pessoas. Por isso, o filantropo reforçou a importância de criar sistemas de prevenção e controle destas epidemias, para evitar mais episódios catastróficos.

Novas tecnologias tornarão a produção de alimento na África autossuficiente

Um dos grandes problemas da África em termos de produção de alimentos é que muitos dos agricultores não tem informação ou treinamento suficientes para aumentar ou expandir suas colheitas.

De acordo com a mensagem anual da Bill & Melinda Gates Foundation feita em 2015, a expectativa é de que com a popularização de smartphones pelo mundo, agricultores africanos terão mais informações sobre as melhores formas de plantio, fertilização e variações climáticas por meio de aplicativos e outras fontes de conteúdo.

Isso, combinado com investimentos na infraestrutura como estradas que conectem diferentes regiões mais facilmente, faz com que Gates acredite que países do continente africano consigam tornar-se autossuficientes em termos de produção de alimentos nos próximos anos.

Bancos eletrônicos vão mudar a vida dos mais pobres

Além da situação na África, Gates também acredita que as novas tecnologias também ajudarão populações mais pobres em todo o mundo a manejar finanças de uma forma mais efetiva, por meio de bancos eletrônicos.

De acordo com a fundação de Gates, metade da população mundial não tem acesso a uma conta bancária tradicional, o que limita as formas de guardar e gerenciar seu dinheiro ou bens. Com sistemas bancários digitais, porém, seria mais fácil lidar com estes problemas.

"Até 2030, 2 bilhões de pessoas que não tem uma conta bancária hoje estarão guardando dinheiro e fazendo pagamentos nos seus telefones", diz a carta anual de 2015 da Bill & Melinda Gates Foundation.

Países pobres deixarão de existir até 2035

Em sua mensagem anual publicada em 2014, Bill Gates fez uma previsão um tanto chocante: até 2035, ele acredita que não existirão países pobres - ao menos, não na concepção atual que temos.

Como base para esta declaração, Gates usa como exemplo a evolução dos países do chamado Terceiro Mundo - incluindo o Brasil - de sua infância nos tempos da Guerra Fria até hoje. "Países aprenderão com seus vizinhos mais produtivos e ser beneficiados com inovações como novas vacinas, melhores sementes, e a revolução digital. Suas forças de trabalho, apoiadas por uma educação expandida, atrairá novos investimentos."

Porém, de acordo com o próprio Gates, haverão países que ficarão para trás neste sentido, particularmente a Coreia do Norte e países centrais da África. E a desigualdade social continuará a ser um problema.

Robôs vão tomar seu emprego... e pagar impostos

Assim como outros figurões do setor de tecnologia e economia, Bill Gates prevê o fim de centenas de milhões de empregos graças a automação, que substitui humanos por máquinas na linha de produção.

O curioso da visão de Gates sobre o assunto é que, para evitar o colapso civilizatório que inevitavelmente aconteceria com o fim do ganha-pão de tantas pessoas ao redor do mundo, seja preciso criar um sistema de impostos que taxaria o uso destes robôs pelas empresas que as utilizam e seus fabricantes.

"Há várias formas de pegar esta produtividade extra e gerar mais impostos", disse em entrevista ao site Quartz. "Parte deles pode vir dos lucros gerados pelo corte de custos da força de trabalho. Parte pode vir diretamente como forma de 'imposto robô'."

"Não acho que as companhias de robô ficariam horrorizadas se houvesse algum tipo de imposto", completou.

Uma nova energia renovável será descoberta até 2030

Um dos maiores e mais preocupantes desafios da humanidade nas próximas décadas é tentar acabar com nossa dependência em combustíveis fósseis, e encontrar uma energia renovável e sustentável que consiga manter nossa sociedade em um estado de relativa estabilidade.

Embora não tenha os argumentos mais elaborados do que suas outras previsões, Gates diz que está confinante de que um novo avanço em energias renováveis será descoberto até 2030. De acordo com o jornal britânico The Guardian, ele mesmo está investindo US$ 2 bilhões no setor.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos