Facebook volta atrás na decisão de censurar foto icônica da Guerra do Vietnã

  • Nic Ut

    Em junho de 1972, um avião da Força Aérea Vietnamita bombardeou a vila de Trang Bang com napalm. A garota do centro, Kim Phuc, tinha nove anos, e sobreviveu

    Em junho de 1972, um avião da Força Aérea Vietnamita bombardeou a vila de Trang Bang com napalm. A garota do centro, Kim Phuc, tinha nove anos, e sobreviveu

O Facebook voltou atrás, nesta sexta-feira (9), em sua decisão de censurar uma foto icônica da Guerra do Vietnã de uma menina nua tentando escapar de um bombardeio de napalm, depois de que a medida desencadeou uma onda de indignação, inclusive da primeira-ministra da Noruega.

"Por causa do seu status como uma imagem icônica de importância histórica, o valor de permitir o compartilhamento supera o valor de proteger a comunidade com a remoção, então, decidimos restabelecer a imagem no Facebook, onde sabemos que ela foi removida", disse um porta-voz da rede social em um e-mail à AFP.

Mais cedo nesta sexta, a primeira-ministra norueguesa, Erna Solberg, postou a fotografia, que o Facebook diz violar suas regras de restrição de nudez.

Registrada em 1972 pelo fotógrafo Nick Ut Cong Huynh para a Associated Press, a foto de uma menina vietnamita nua fugindo de um ataque de napalm é considerada uma das imagens que definem a guerra. Ele foi homenageado com o Prêmio Pulitzer.

O post de Solberg foi tirado do ar horas depois - apagado pelo Facebook, denunciou ela. A primeira-ministra disse que a rede social americana estava buscando "editar nossa história comum".

O caso começou há algumas semanas, quando o escritor norueguês Tom Egeland publicou um post sobre fotos de guerra, ilustrado com a imagem icônica. O Facebook a deletou rapidamente.

Em apoio a Egeland, noruegueses começaram a publicar essa mesma foto na rede social, e também tiveram suas mensagens apagadas.

Em sua última declaração, o Facebook disse que mudou sua orientação "depois de ouvir a nossa comunidade" e de examinar como suas "normas comunitárias" eram aplicadas.

"Normalmente, se presumiria que uma imagem de uma criança nua viola as nossas normas comunitárias e, em alguns países, esta poderia até ser qualificada como pornografia infantil", acrescentou.

O Facebook declarou, porém, que, de agora em diante, vai permitir que essa imagem seja postada na maior rede social do mundo e que vai ajustar seus mecanismos de revisão para permitir seu compartilhamento.

"Vai levar algum tempo para adaptar esses sistemas, mas a foto deve estar disponível para ser compartilhada nos próximos dias", acrescentou o comunicado.

"Estamos sempre procurando melhorar nossas políticas para garantir que elas promovam a liberdade de expressão e mantenham nossa comunidade segura", completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos