A razão científica pela qual gritamos no celular

Hannah Fry e Adam Rutherford

  • Istockphoto

A maioria de nós já se incomodou com alguém falando alto demais no celular - hábito que, no entanto, quase ninguém admite ter.  Mas por que gritamos no celular? Há uma explicação científica para esse enigma? Para encontrar a resposta, é preciso entender melhor como funciona a telefonia.

Quem inventou o telefone? Alexander Graham Bell seria a resposta mais comum. Mas não é tão simples assim. Na verdade, o engenheiro americano Elisha Gray fez um pedido de patente do telefone no mesmo escritório e no mesmo dia que Bell - e algumas horas antes.

Para sua infelicidade, seus documentos ficaram no final de uma pilha de pedidos, enquanto o de Bell foi apreciado e aprovado rapidamente. Um erro administrativo trivial fez com que o nome de Bell entrasse para a história.

Bell levou seu invento para a gigante de telecomunicações da época, a Western Union. "Disseram que parecia ser um pouco caro", conta À BBC Greg Jenner, historiador e autor de Um Milhão de Anos em um Dia: A Curiosa História da Vida Cotidiana.

"O problema era que o presidente da Western Union odiava profundamente o sogro de Bell. Então, o recusaram e contrataram (Thomas) Edison, um grande gênio americano, e o rival de Bell, Elisha Gray, para trabalharem juntos em um aparelho para rivalizar com o dele."

Quem fez o melhor telefone? "Aparentemente, Gray tinha uma tecnologia mais avançada. No entanto, a contribuição crucial veio de Edison, que desenvolveu um microfone muito sensível feito com carvão, tão eficaz que não é preciso gritar."

Esta não era a única vantagem. Os primeiros telefones tinham um retorno de voz mínimo, conhecido pela expressão em inglês sidetone, algo muito útil para que possamos escutar o volume de nossa própria voz durante uma conversa. Ainda hoje, todos os telefones fixos vêm com esse recurso.

Mobilidade

Então, o problema está nos celulares? Será que eles não têm o sidetone? "A maioria têm", diz à BBC o especialista em tecnologia acústica Nick Zakarov.

"O problema é que não usamos o celular em um lugar fixo, e ele precisa competir com o barulho de um ambiente."

Então, a razão pela qual chegamos até a gritar no celular é que eles são móveis. A explicação está num fenômeno conhecido como "Efeito ou Reflexo Lombard", descoberto em 1909 pelo otorrinolaringologista francês Étienne Lombard.

Ele descobriu que temos uma tendência natural de aumentar o volume da voz quando estamos em um lugar barulhento. E a regulamos usando como referência o som mais alto que estamos escutando, seja uma moto ou a pessoa ao lado.

Como nossa medida é o som mais forte, mesmo quando estamos em um local mais silencioso a outra pessoa pode pensar que estamos falando alto.

Em resumo: falamos alto ao celular por uma combinação do Efeito Lombard e osidetone, que não foi feito para lidar com a mobilidade dos telefones móveis.

Ou, na opinião de alguns, por sermos mal-educados mesmo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos