Carregador falso de iPhone pode ter eletrocutado aeromoça chinesa

  • Reprodução/Sina

    Ma Ailun, 23, trabalhava como aeromoça da China Southern Airlines e morreu eletrocutada

    Ma Ailun, 23, trabalhava como aeromoça da China Southern Airlines e morreu eletrocutada

Um carregador falso pode ter causado a morte de uma jovem chinesa que, segundo sua família, morreu eletrocutada ao utilizar seu iPhone no momento em que o telefone estava sendo recarregado.

A aeromoça Ma Ailun, 23, aparentemente usava um carregador que não era original para recarregar seu celular, segundo divulgou nesta terça-feira a emissora local "CFTV". Segundo o especialista Xiang Ligang, essa poderia ter sido a causa da descarga elétrica, uma hipótese que confirma a versão apresentada pela família da jovem.

"Às vezes, os carregadores falsos economizam na qualidade. O protetor do circuito poderia não ser bom, o que poderia causar uma ruptura do condensador e, posteriormente, uma descarga de 220 volts de energia diretamente à bateria do telefone", explicou Xiang.

Outra possibilidade, segundo Xiang, seria a do carregador ter sido desenhado para ser utilizado em Hong Kong, Taiwan e no Japão, mas não na China continental. "Hong Kong, Taiwan e Japão têm um padrão elétrico de 110 volts. Mas, na China continental, todos são 220 volts", destacou o especialista consultado pela emissora local, que acrescentou que, neste caso, o carregador poderia ter se partido e "sobrecarregado".

O especialista também explicou que, normalmente, um carregador "sobrecarregado" pode sobreaquecer a carcaça do telefone, danar os circuitos e inutilizar o dispositivo.

No caso da jovem, no entanto, as autoridades chinesas confirmaram que o iPhone ainda pode ser utilizado – ele continua funcionando, apesar dos visíveis sinais de queimaduras no seu exterior. Segundo o jornal "South China Morning Post", o cabo de dados do iPhone, o carregador e a tomada estavam intactos.

Investigação
O acidente aconteceu na quinta-feira (11) na região de Xinjiang, no noroeste da China. Segundo as primeiras análises das autoridades, Ma morreu eletrocutada. No entanto, a descarga elétrica causada pelo smartphone, como asseguram seus familiares, ainda está sendo investigada.

"Espero que a Apple nos dê uma explicação", publicou a irmã mais velha de Ma na rede social Weibo - similar ao Twitter. A mensagem recebeu milhares de comentários com alertas e queixas em torno da utilização dos celulares.

Perante a rápida circulação da notícia pela internet na China, a Apple não demorou em publicar uma mensagem dirigida a seus usuários no país asiático.

"Ficamos muito tristes pelo infeliz incidente. Transferimos nossas condolências à família", declarou a companhia americana em um comunicado de sua sede na China. A empresa também confirmou a abertura de uma investigação sobre o ocorrido em colaboração com as autoridades chinesas.
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos