Samsung faz recall do Galaxy Note 7 no mundo todo por bateria pegar fogo

Em Seul

  • Divulgação

A Samsung anunciou nesta sexta-feira (2), em Seul, na Coreia do Sul, que fará o recall no mundo todo de seu smartphone Galaxy Note 7, após a denúncia feita por vários usuários de que os aparelhos estavam queimando durante a carga de energia.

A empresa sul-coreana vai interromper provisoriamente as vendas em vários países e oferecerá a quem adquiriu o Note 7 a possibilidade de substituir seu aparelho por outro modelo de forma temporária, explicou Koh Dong-jin, diretor da divisão de telefonia celular da companhia, em entrevista coletiva.

"É possível que os usuários do Note 7 estejam preocupados. Temos um software para comprovar se existe problema no telefone. Durante a revisão, podem utilizar qualquer outro modelo de aparelho disponível", afirmou o diretor.

Em teste de resistência, Note 7 é congelado e jogado de um prédio

  •  

Após uma investigação, a Samsung concluiu que os problemas nos aparelhos "foram causados por defeitos nas baterias", declarou Koh. O diretor afirmou que foram detectadas 24 baterias com defeito, em um total de um milhão de aparelhos.

As baterias usadas pela Samsung são produzidas por várias outras empresas, incluindo sua Samsung SDI. Koh não mencionou o nome da empresa responsável pelas baterias defeituosas, mas disse que as vendas na China - onde é utilizado um fornecedor diferente -, que começaram na quinta-feira (1º), não foram afetadas.

O Galaxy Note 7, um smartphone de bordas curvas com lápis óptico e que tem como sua principal novidade a resistência total à água, começou a ser comercializado no mundo todo no dia 19 de agosto. Em média, um milhão de aparelhos foram vendidos na Coreia do Sul e nos Estados Unidos. 

Vários usuários denunciaram que, durante a carga de energia, os aparelhos pegavam fogo. Houve inclusive vídeos publicados em redes sociais mostrando o caso.

Em nota, ao justificar o recall, a empresa disse levar a sério cada relatório de incidente e priorizar a segurança dos clientes. "Até o dia 1º de setembro ocorreram 35 casos que foram relatados globalmente e estamos atualmente realizando uma inspeção completa com os nossos fornecedores para identificar possíveis baterias afetadas onde os produtos já foram vendidos."

Para os clientes que já têm um Galaxy Note7, a Samsung garante que substituirá o aparelho atual por um novo nas próximas semanas. "Estamos trabalhando em conjunto com os nossos parceiros para garantir que a experiência de substituição seja a mais conveniente e eficiente possível."

Vale lembrar que o produto ainda não foi comercializado no Brasil e seu lançamento no país, previsto para setembro, será adiado. Ainda não há uma definição sobre a nova data. 

O recall em massa, um caso sem precedentes desde que a Samsung começou a comercializar smartphones em 2010, pode representar um duro golpe na empresa sul-coreana, que recentemente tinha recuperado força no mercado, depois de perder espaço nos últimos anos para a americana Apple. 

Galaxy Note 7 tem leitor de íris e caneta "tradutora"

  •  

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos