Robôs começam a patrulhar um dos maiores aeroportos da China

Da EFE

Em Pequim

  • Mao Siqian/Xinhua

    Passageiros no check-in do aeroporto de Shenzhen, China

    Passageiros no check-in do aeroporto de Shenzhen, China

O aeroporto da cidade chinesa de Shenzhen, no sul do país, vizinha a Hong Kong e uma das que têm maior tráfego aéreo, pôs para patrulhar robôs em um de seus terminais, um dos primeiros lugares públicos na China a contar com guardiães automatizados.

Segundo o jornal oficial "Diário do Povo", estes aparelhos, chamados Anbot ("an" significa "segurança" em chinês), têm um aspecto ovoidal e não humanoide demais, que lembra mais o R2D2 de Star Wars ou o Dalek da série "Doctor Who".

Sua "cara" tem de uma tela digital e uma câmera de alta definição capaz de fazer imagens dos viajantes para ser analisadas.

Sua função é portanto, e por enquanto, muito similar à de uma câmera de segurança, só que com maior mobilidade - pode deslocar-se a uma velocidade de até 18 km/h - e é dotado além de uma "arma" de defesa (um braço em sua parte inferior capaz de soltar descargas elétricas para render potenciais inimigos).

O Anbot foi desenvolvido por uma universidade chinesa ligada ao Exército na cidade central de Changsha, e também pode ser utilizado como vigilante em escolas e bancos.

Também é capaz de procurar explosivos, armas e entorpecentes, e seu preço por unidade ronda os 100 mil iuanes (US$ 15 mil).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos