Zuckerberg tirará dois meses de licença-paternidade no Facebook

Da EFE

Em Nova York

  • Getty Images/AFP

    Mark Zuckerberg, criador do Facebook

    Mark Zuckerberg, criador do Facebook

O cofundador e diretor-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou nesta sexta-feira (18) que planeja tirar novamente dois meses de licença-paternidade, um após o nascimento da sua segunda filha e outro mais adiante, em dezembro.

Zuckerberg, que já pegou dois meses de licença-paternidade após o nascimento da sua primeira filha, Maxima, com a sua esposa, Priscilla Chan, destacou em seu perfil pessoal que o Facebook oferece aos seus empregados quatro meses de licença-paternidade e hospital para parturientes.

"Os estudos mostram que quando os pais trabalhadores tiram um tempo para estar com os seus recém-nascidos é bom para a família inteira. E estou bastante seguro que o escritório continuará de pé quando voltar", declarou.

O Facebook não é a única empresa tecnológica americana que oferece generosos planos como este aos seus empregados, mas tirar licenças-maternidade e paternidade remuneradas não é algo comum no país, especialmente em nível executivo.

Segundo um estudo publicado em março pelo centro Pew Research, só 14% dos trabalhadores teve acesso às licenças remuneradas no país no ano passado.

Os Estados Unidos carecem de uma lei nacional de licença-maternidade remunerada, ainda que existam políticas que a regulem em alguns estados, começando pelo da Califórnia, que a estabeleceu em 2004.

Em sua proposta orçamental, o presidente Donald Trump incluiu primeira vez na história dos EUA um programa de licença-maternidade e paternidade desenvolvido por sua filha e assessora, Ivanka Trump, no valor de US$ 25 bilhões para os próximos 10 anos.

Seu celular pode servir como mouse e teclado de computador; aprenda

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos