Dicas de Tecnologia

Aplicativos de senha para WhatsApp só funcionam para Android; veja teste

Ana Ikeda

Do UOL, em São Paulo

Os aplicativos que prometem bloquear com senha o acesso de curiosos ao WhatsApp estão entre os mais baixados nas lojas de aplicativos para smartphones. Eles oferecem uma proteção "dupla": além da senha nativa no smartphone que trava a tela, esse segundo código protege o usuário de quem costuma ter acesso livre ao aparelho, como namoradas, parentes e amigos. 

A surpresa, no entanto, é que apenas as opções para aparelhos Android parecem funcionar. No caso do iPhone, há dezenas de usuários reclamando desses aplicativos na área de opiniões. No Windows Phone, achamos apenas um deles, mas ele aplica uma pegadinha aos intrometidos. Confira abaixo o teste:

Sucesso no Android
Testamos duas opções gratuitas no Android, usando um Nexus 5: um aplicativo de bloqueio específico para WhatsApp e outro que bloqueia qualquer aplicativo.

O primeiro é o WhatsLock, da Bunny Labs. Assim que o usuário abre o aplicativo, deve cadastrar a senha de bloqueio de quatro números (você precisa digitá-la duas vezes). Toa vez que você tentar abrir o WhatsApp, será solicitada essa combinação. Também é preciso digitá-la para abrir o próprio WhatsLock.

Depois de criada a senha, aparecem opções de configuração do aplicativo. Além de impedir o acesso não autorizado ao WhatsApp, também é possível evitar que ele seja desinstalado ou que tenha as configurações alteradas na central do Android.

A desvantagem do aplicativo é que ele mostra várias publicidades, dificultando a visualização dos botões da interface. É preciso ativar o bloqueio perto do menu inferior do Android.

Reprodução
WhatsLock: assim que o usuário abre o aplicativo, deve cadastrar a senha de bloqueio de quatro números. Depois, ajusta as configurações. Por último, ativa o bloqueio

O segundo aplicativo é o Protetor de Apps, da Lovekara, capaz de bloquear com senha vários aplicativos que você tenha instalado no Android. Nas primeiras telas, você cadastra uma senha numérica (além da pergunta de segurança para recuperá-la se precisar) e uma senha desenhada.

Depois, é levado a uma tela para escolher quais aplicativos devem ter acesso restrito. O WhatsApp aparecerá na lista – basta ativar o cadeado.  A diferença de funcionamento para o WhatsLock é que há um passo a mais para abrir o WhatsApp. Isso porque quando digita a senha, o usuário é levado não para a tela do app de conversas, mas ao Protetor de Apps. Lá, precisa desativar o bloqueio e só então abrir o WhatsApp.

Reprodução
Protetor de Apps: o usuário pode cadastrar uma senha numérica e outra por padrão. Em seguida, habilita os aplicativos que deseja deixar bloqueados

Em ambos os casos, após desativar os aplicativos e em seguida desinstalá-los no Nexus 5, o WhatsApp continuou a funcionar normalmente.

Decepção no iPhone
No teste feito pelo UOL Tecnologia, baixamos no iPhone o aplicativo Senha para WhatsApp (US$ 0,99 ou R$ 2,30), desenvolvido por Jan-Niklas Freundt. Até a publicação desta reportagem, ele figurava entre os dez programas pagos mais baixados da App Store do Brasil.

Fizemos isso com o único intuito de confirmar o que diziam as sete queixas deixadas por usuários que fizeram o download. Todos alertavam que o Senha para WhatsApp  não cumpria o prometido. Aliás, fica a dica: sempre leia as opiniões antes de baixar um aplicativo, ainda mais se for pago.

Na descrição do aplicativo, lê-se: "Suas mensagens pertencem a você e nem todos que usam seu iPhone, iPod touch ou iPad deveriam poder lê-las. Com Senha para WhatsApp, ninguém, exceto você, poderá ler suas mensagens ou ver suas fotos e vídeos privados."

Mas não é o que ocorre. O aplicativo não bloqueia o acesso direto ao WhatsApp. Você primeiro tem de importar conversa por conversa para o Senha para WhatsApp. Uma tarefa nada prática e sem utilidade, já que os arquivos importados não atualizam automaticamente as novas mensagens enviadas. Então, ele fecha apenas o acesso ao que estiver dentro do Senha para WhatsApp – o usuário digita a senha só para ler as conversas que importou do programa original.

Reprodução
Senha para WhatsApp: o aplicativo pede para o usuário criar uma senha, mas ela só serve para bloquear o conteúdo das conversas importadas do WhatsApp

Reprodução
Senha para WhatsApp: o usuário é levado a fazer um processo sem utilidade -- importar cada conversa do WhatsApp para o aplicativo. Para isso, tem de enviar para si mesmo um e-mail anexando a conversa do WhatsApp e depois pedir para abrir no app de bloqueio
O mais curioso é que, ao procurar outros aplicativos semelhantes na App Store, só achamos opções pagas, também com muitos comentários negativos de quem fez o download. "Não baixe" e "Dinheiro jogado fora" são as queixas mais recorrentes.

Surgem então duas dúvidas: se não funcionam, por que foram aprovados pela Apple? Se há tantas reclamações, por que continuam disponíveis na App Store?

Questionada sobre o tema, a Apple não retornou o contato até a publicação dessa reportagem.

Portanto, se você é usuário de iPhone, a melhor opção para bloquear seu WhatsApp ainda é usar recursos nativos do aparelho: a senha numérica (em modelos até o iPhone 5) ou o leitor de digitais (no iPhone 5s), bloqueando o acesso total ao celular.

Reprodução
Fail Whatsapp Lock: curioso toca no ícone do aplicativo no Windows Phone pensando tratar-se do WhatsApp
Pegadinha no Windows Phone
Ao buscar aplicativos de senha para WhatsApp na loja do Windows Phone, encontramos apenas o Fail Whatsapp Lock, que é gratuito. Não testamos essa opção, porque ela não promete bloquear o acesso ao WhatsApp, mas sim "aplicar uma pegadinha". O curioso toca no ícone do aplicativo pensando tratar-se do WhatsApp e então verá uma tela de senha.

A intenção disso, conforme descreve o desenvolvedor Jadson Santos na Windows Phone Store, é fazer o intrometido desistir do acesso ao se deparar com o pedido de senha. O WhatsApp "de verdade" continua acessível. Na área de resenhas, os usuários criticam o aplicativo dizendo que por ele não ter o nome "igual" do WhatsApp, o intrometido pode perceber a tal pegadinha. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos