De olho na segurança

Fechaduras eletrônicas usam rosto, digital e senhas para abrir portas

Flávio Carneiro

Do UOL, em São Paulo

  • Junior Lago/UOL

    Fechadura eletrônica MD 5709 abre portas somente para rostos cadastrados

    Fechadura eletrônica MD 5709 abre portas somente para rostos cadastrados

Já disponíveis no mercado, as fechaduras eletrônicas trocam as tradicionais chaves pelo reconhecimento facial, pela biometria e por combinações numéricas. Alguns desses produtos foram divulgados nesta semana na Exposec 2014, feira de segurança patrimonial realizada em São Paulo.

A fechadura MD 5709, da fabricante Madis, promete abrir as portas somente para os rostos cadastrados. Segundo a desenvolvedora, o equipamento é altamente preciso na hora de encontrar a identidade do usuário. Durante a feira não foi possível testar o produto, uma vez que é necessário cadastrar o rosto. O preço sugerido é de R$ 3.400.

Ela seria capaz, por exemplo, de distinguir até mesmo irmãos gêmeos. De acordo com a Madis, nem mesmo uma foto de alta resolução seria capaz de enganar o sistema, pois ele seria capaz de checar a profundidade da imagem. Segundo a empresa, as duas câmeras conseguem diferenciar mais de 80 características faciais do usuário, como formato do queixo, olhos e mandíbula.

Para funcionar, o produto utiliza pilhas convencionais. A corporação afirmou que a autonomia é de até quatro meses. Quando essa energia acabar, o produto também possui acesso por chaves tradicionais. O compartimento fica escondido sob uma camada de plástico.

Junior Lago/UOL
Fechadura eletrônica D-Lock DL 1000 ABS funciona com senha e biometria
Já a D-Lock demonstrou um modelo mais simples e barato de fechadura eletrônica. A DL 1000 ABS promete abrir a porta para até 120 digitais cadastradas e uma senha numérica. A alimentação também é feita por pilhas, e a autonomia seria de até um ano.

Assim como o modelo mais robusto, essa fechadura possui abertura mecânica, caso seja necessário voltar ao "estilo" tradicional. O preço sugerido é R$ 766.

Outros produtos

Além das maçanetas eletrônicas, a feira também foi marcada pelas câmeras de vigilância, que puderam ser encontradas a partir de R$ 200 (com gravador de imagens vendido separadamente).

Juntamente com as câmeras, os sistemas de "portaria inteligente" identificam quem toca a campainha. Alguns modelos exibidos seriam capazes, por exemplo, de enviar uma foto para o smartphone do proprietário da casa, que poderia abrir a porta pelo celular.

Outra presença marcante no evento foi a de rastreadores. Apareceram soluções para carros, motos e pessoas. A variedade de modelos inclui gadgets portáteis, que funcionam com pilhas, e os que são plugados diretamente na bateria dos veículos. Uma vez ligados, os rastreadores enviam a localização diretamente para o celular do usuário, utilizando um sinal 3G de internet. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos