Facebook fecha páginas de empresas autorizadas a vender maconha nos EUA

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    16.fev.2016 - Breakwater Treatment & Wellness, empresa de Nova Jersey de tratamentos alternativos com uso de maconha, critica política do Facebook de fechar páginas do ramo

    16.fev.2016 - Breakwater Treatment & Wellness, empresa de Nova Jersey de tratamentos alternativos com uso de maconha, critica política do Facebook de fechar páginas do ramo

O site de notícias "NBC News" informou nesta segunda-feira (15) que o Facebook está fechando páginas de diversos empreendimentos ligados à maconha nos Estados Unidos, mesmo que o comércio da substância tenha sido liberado para fins medicinais em 24 Estados do país.

O veto da rede social está atingindo desde laboratórios de maconha medicinal em Nova Jersey, Arizona e Nevada até lojas para consumo recreativo da droga, em Oregon, Colorado e Washington. A justificativa seria a violação aos "padrões da comunidade" do Facebook.

Quando os funcionários tentaram acessar a conta do Facebook, eles receberam uma notificação de que a página havia sido despublicada. Eles foram informados de que o Facebook "remove qualquer promoção ou incentivo do uso de drogas", mas dando a oportunidade para recorrer da decisão da rede social.

A situação incomodou tanto as empresas quanto pacientes, que acompanhavam as atualizações dessas páginas sobre as últimas substâncias que ajudam a aliviar os sintomas que os deixam debilitados. A legislação descrimina o porte de maconha em óleo de baixo teor da substância que altera o sistema nervoso central, o tetraidrocanabinol (THC), para tratar doenças como o câncer, a esclerose múltipla, o Parkinson ou a epilepsia.

Um porta-voz do Facebook disse à NBC que as páginas foram removidas "por violar nossas normas comunitárias, que definem o que é e não é permitido no Facebook", e direcionou para a página de Padrões da Comunidade, que afirma que o Facebook "proíbe qualquer tentativa por revendedores não autorizados de comprar, vender, ou prescrição tráfico de drogas, maconha ou armas de fogo".

Graham Sorkin, diretor de desenvolvimento de negócios da Mary's Medicinals, empresa com mais de 20 mil seguidores na rede social, se aborreceu com o fim da página e criticou a resposta do Facebook sobre o uso do termo "revendedores não autorizados"

"Nós não somos revendedores não autorizados; somos licenciados pelo Estado do Colorado e seguimos mais regulamentações do que praticamente toda a indústria nos Estados Unidos", disse Sorkin.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos