"Facebook do cannabis" quer entrar em Wall Street

Em Nova York

  • Reprodução

Uma rede social para os usuários de cannabis (maconha) quer entrar na Bolsa de Nova York. Caso consiga, será a primeira vez que um grupo dedicado aos usos terapêutico e recreativo de maconha operará em Wall Street.

A MassRoots, uma star-up criada em 2013 em Denver (Colorado), apresentou nessa segunda-feira (11) sua candidatura à SEC, a agência que vigia a Bolsa americana, segundo um documento preliminar.

Chamada de "Facebook do cannabis", a plataforma afirma ter 775.000 usuários que compartilham em suas páginas as experiências sobre maconha. cannabis. A rede social também informa ter 380.000 seguidores em sua conta no Instagram.

A MassRoots quer obter US$ 6,5 milhões (cerca de R$ 22,8 milhões) que serão destinados a pagar sua dívida, desenvolver-se e criar novas funcionalidades para seu aplicativo móvel.

Ela se apresenta como uma empresa tecnológica e espera ser incluída na plataforma especializada Nasdaq.

As receitas da MassRoots passaram de US$ 9.030 (R$ 31.692) em 2014 para US$ 213.936 (R$ 750.850) em 2015. O prejuízo líquido quadruplicou, de US$ 2,4 milhões (R$ 8,4 milhões) para US$ 8,5 milhões (R$ 29,8 milhões).

A MassRoots está disponível em 23 estados americanos e na capital federal, Washington DC, que autorizam o uso medicinal da maconha.

"Nossos usuários utilizam a MassRoots para compartilhar experiências sobre o cannabis, seguir os distribuidores favoritos e manterem-se informados sobre a legislação", explicou o grupo.

Já as empresas "utilizam a MassRoots para vender seus produtos diretamente aos consumidores de maconha".

O grupo obtém suas receitas da publicidade presente na plataforma desde agosto de 2015.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos