Homem se declara culpado na Austrália por ameaças de estupro no Facebook

Do UOL, em São Paulo

  • Manjunath Kiran/AFP

Um homem se declarou culpado à Justiça de Sydney, Austrália, nesta segunda-feira (20), por ameaças de estupro explícitas no Facebook. Ele foi acusado em outubro depois de postar mais de 50 comentários públicos no Facebook, a maioria deles explícitos e depreciativos, segundo o jornal "The Guardian". A sentença será recebida no próximo mês, no dia 29 de junho.

Em agosto, um amigo de Alchin --que não foi acusado-- postou no Facebook uma captura de tela do perfil do Tinder de Olivia Melville, que incluía um trecho de letra do cantor Drake: "O tipo de garota que vai sugá-lo até secar e depois almoçar com você".

De acordo com o "Mashable", Alchin postou dezenas de comentários explícitos, sexistas e depreciativos sob a foto da garota. Uma amiga de Melville, Pamola Brierley Newton, criticou o comportamento de Alchin e também o denunciou à polícia.

Alguns dos comentários de Alchin foram: "Você sabe qual é a melhor coisa sobre uma feminista? Eles não têm qualquer ação [sexual], então quando você estuprá-las, sente que está 100 vezes mais apertado"; "Você vai comer o meu pau até vomitar"; e "Eu te estupraria se você tivesse uma aparência melhor".

Quando Brierley Newton ameaçou denunciá-lo à polícia, Alchin respondeu: "Que direito eu estou quebrando? Eu sou a única pessoa fora da cozinha, porra". Alchin postou 55 comentários em um período de duas horas. Brierley Newton denunciou à polícia, deu-lhes um drive USB contendo capturas de tela de seus comentários e o bloqueou no Facebook.

Alchin foi enquadrado por assédio em uma lei australiana por "usar um serviço de transporte para ameaçar, assediar ou causar ofensa", mas segundo a "BBC", essa lei foi escrita há mais de duas décadas, antes do surgimento das redes sociais. Até então, os tribunais do país só tinham usado essa lei para casos de comunicações telefônicas e mensagens de texto, e não estava claro se a lei australiana preexistente poderia se aplicar a redes sociais.

O acusado disse à polícia que estava bêbado e que os comentários não refletiam quem ele era, e que ele não estava ciente de que "trollar" na internet era um crime. Depois de inicialmente indicar que ele iria se declarar culpado, em meados de janeiro, ele depois afirmou inocência ao tribunal local em Newtown.

Brierley Newton, que fundou um grupo de defesa chamado A Violência Sexual Não Será Silenciada, para ajudar vítimas de abuso online-- disse que estava satisfeito com a declaração de culpa de Alchin.

"Nossa vitória hoje envia uma mensagem para todas as mulheres: que elas não têm que aturar o assédio online, que existem etapas e canais a serem procurados contra isso, e que a lei australiana está do seu lado", disse ela.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos