Homem que se sentia "vigiado" é suspeito de ataques contra o Google

Do UOL, em São Paulo

  • Paul Sakuma/AP

Um homem de 30 anos é apontado com principal suspeito por uma série de ataques contra o Google em Mountain View, na Califórnia (EUA). Coquetéis molotovs foram atirados em um estacionamento de propriedade do Google, em 19 de maio. No dia 4 de junho, foram registrados tiros contra as janelas de um outro edifício da gigante de buscas.

Segundo o relatório policial, divulgado pelo tabloide norte-americano "The Mercury News", Raul Murillo Diaz teria dito se sentir vigiado pela empresa e ter medo de um possível rastreamento. Policiais investigam o envolvimento do suspeito com os ataques à empresa. 

Imagens do circuito interno, segundo os investigadores, identificaram um mesmo SUV nos dois ataques. Diaz é investigado pelos dois crimes e ainda pode estar envolvido em um terceiro, que ocorreu em 10 de junho.

Segundo a polícia, na ocasião, um indivíduo com uma pistola de água abastecida com gasolina ateou fogo em um dos carros do Google Street View.

Diaz foi preso pela polícia de Mountain View em 30 de junho, durante uma blitz de trânsito perto da sede do Google. Na operação, foram encontrados dentro de sua SUV uma maleta de armas e materiais que poderiam ser usados para criação de uma bomba caseira.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos