De olho na segurança

Cuidado! Novo golpe no WhatsApp promete videochamada no app

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Golpe_WhatsApp

    Golpe_WhatsApp

Não se deixe enganar pela falsa promessa da ativação de vídeochamada no WhatsApp. O golpe não é tão novo, mas voltou a circular no app de bate-papo, segundo a empresa de segurança digital ESET.

O objetivo dos cibercriminosos é iludir as vítimas para direcioná-las a sites de publicidade e forçá-las a realizar o download de aplicações maliciosas. 

Com o título em negrito "WhatsApp começa a liberar vídeochamdas", a mensagem inclui um link falso que promete a ativação do recurso.

Para que a ação seja mais efetiva e engane o maior número de usuários, os cibercriminosos usaram um falso domínio "xxx.whatsapp.com". Mas, ao clicar no link, a vítima é levada para uma página em que o golpe é efetivado.

Nessa etapa, a vítima é avisada de que para ativar a videochamada é necessário compartilhar a mensagem com cinco amigos e em cinco grupos diferentes do WhatsApp. Ao realizar a ação e compartilhar o link com seus contatos, o usuário é informado de que deve enviar para mais contatos.

Após realizar o compartilhamento, o navegador da vítima é direcionado para uma página de publicidade, que funciona de forma randômica a cada acesso, onde é feito o download de uma aplicação maliciosa no equipamento do usuário, sem que ele perceba. Além disso, a cada acesso ao conteúdo publicitário, os cibercriminosos recebem uma comissão pela visualização do conteúdo.

WhatsApp como isca

Nos últimos meses, empresas de segurança digital têm identificado uma série de golpes aplicados pelo WhatsApp. Em geral, o modo de atuação é bem parecido e tem como objetivo enganar o maior número de pessoas com promessas de promoções e serviços exclusivos.

"Golpes no WhatsApp estão cada vez mais frequentes. Os cibercriminosos utilizam a engenharia social para chamar a atenção dos usuários e persuadi-los a divulgar informações pessoais, compartilhar contatos e acessar conteúdos maliciosos", afirma Camillo Di Jorge, presidente da ESET.

Segundo ele, as pessoas que utilizam o WhatsApp precisam ficar atentas aos conteúdos que recebem. "A melhor forma de evitar problemas é ter uma solução de segurança instalada no smartphone e não clicar em links que prometem promoções, jogos ou novas aplicações", reforça o especialista.  

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos