iStock

De olho na segurança

Internauta de mais de 55 anos é alvo mais fácil de fraudes, diz estudo

Do UOL, em São Paulo

  • Getty Images

Embora a grande maioria dos internautas de mais de 55 anos (86%) não acredite que possa ser alvo de ataques virtuais, quatro em cada dez desses usuários já correram o risco de compartilhar informações financeiras em domínios públicos. É o que revela uma pesquisa realizada pela empresa de segurança digital Kaspersky Lab, que aponta a faixa etária como o alvo mais atraente aos cibercriminosos.

Segundo o estudo, que ouviu 12.546 usuários da internet de 21 países (incluindo o Brasil), as gerações mais velhas estão cada vez mais conectadas. Por exemplo, 16% dos usuários do Facebook têm mais de 55 anos. E o uso vai muito além das redes sociais.

Ao todo, 94% dos internautas dessa faixa etária enviam emails regularmente. Eles também são mais propensos a fazer comprar e a usar bancos online. Segundo o estudo, essa atividade de alto risco é realizada por 90% dos usuários com mais de 55 anos, contra a média de 84% dos usuários das demais faixas etárias.

Mas o grande problema, de acordo com a pesquisa, está na falta de proteção adotada no ambiente virtual. Menos da metade das pessoas acima dos 55 anos de idade (49%), por exemplo, dizem se preocupar com a vulnerabilidade ao comprar produtos pela internet.

Mais velhos se preocupam menos com segurança de celulares

Embora esses usuários sejam mais propensos a instalar softwares de segurança em seus computadores, tendem a proteger menos seus dispositivos móveis. Ainda que usem configurações de privacidade alta nas redes sociais, a preocupação com os navegadores é menos expressiva do que as outras faixas etárias: 30% contra 38%.

São poucos os usuários, inclusive, que usam as funções de segurança fornecidas pelos diapositivos. Apenas 28% deles recorrem ao "localizador" e 10% à VPN (Rede Virtual Privada). Os índices dos usuários de todas as idades são de 42% e 16%, respectivamente.

Ao compartilhar informações, apenas 35% conferem as mensagens antes de enviá-las, e somente 16% evitam compartilhar informações quando estão cansados (em contraste com 44% e 31% entre os participantes mais jovens).

"É preocupante que eles nem considerem que podem ser alvo de criminosos virtuais, mas se colocam em perigo repetidamente", diz Andrei Mochola, chefe de negócios ao consumidor da Kaspersky Lab.

A falta de conhecimento cibernético torna os usuários com mais de 55 anos menos preparados para os perigos do mundo conectado. Segundo o relatório, 20% dos usuários da internet têm parentes mais velhos que já se depararam com software malicioso, e 14% têm parentes mais velhos que foram enganados com a falsa promessa de prêmios online.

Além disso, 13% dos entrevistados afirmaram ter parentes mais velhos que compartilharam informações pessoais demais na internet, e 12% dizem ter parentes mais velhos que foram vítimas de golpes on-line, viram conteúdo inadequado/explícito ou se comunicaram online com desconhecidos perigosos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos