Após anunciar fim de Note 7, Samsung amplia recall do aparelho nos EUA

Em Washington

  • Divulgação

A Samsung ampliou nesta quinta-feira (13) a retirada do mercado americano dos smartphones Samsung Galaxy Note 7, cujas baterias entram em combustão, ao incluir os aparelhos substitutos entregues aos clientes.

O anúncio, replicado pela CPSC (Comissão de Proteção dos Consumidores), informou que o recall é direcionado a 1,9 milhão de dispositivos, incluindo o um milhão anunciado em 15 de setembro.

"Os consumidores deverão deixar de usar imediatamente e desligar todos os telefones Galaxy Note 7, incluindo os dispositivos Note 7 que foram entregues em substituição após o recall anterior", disse a instituição em comunicado.

No início da semana, a Samsung anunciou que retiraria todos os Note 7, incluídos os que foram entregues em substituição, e que suspenderia a produção de seu principal dispositivo.

A companhia sul-coreana anunciou a retirada de 2,5 milhões de Note 7 em dez mercados após várias denuncias de que as baterias pegavam fogo enquanto carregavam. Depois teve que ampliar a medida quando se soube que os telefones entregues em substituição também entravam em combustão.

Nesta quinta-feira, a Samsung informou em comunicado publicado por sua sede nos Estados Unidos que oferecerá um crédito de US$ 100 (cerca de R$ 318) aos clientes que queiram trocar o Note 7 por outro dispositivo Samsung.

"Temos o compromisso de fazer tudo o que podemos para resolver isso de forma correta", disse a empresa.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos