Galaxy S7 Edge pega fogo no Canadá; é o terceiro caso em cerca de um mês

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/Google+

Ainda que a Samsung tenha anunciado o fim da produção e das vendas do "explosivo" Note 7, parece que a crise da sul-coreana está longe de ter um fim. Agora, o foco está no Galaxy S7 Edge, lançado em fevereiro de 2016, envolvido em ao menos três ocorrências de explosões em cerca de um mês. Uma nas Filipinas, outra nos Estados Unidos e a mais recente delas no Canadá.

O canadense Elisha Loewen usou a rede social Google+ para compartilhar as fotos do incidente com o seu Galaxy S7 Edge. O aparelho, segundo ele, começou a soltar fumaça enquanto estava parada sobre o painel do carro.

Como o celular estava extremamente quente, Loewen só teve condições de pegá-lo para arremessa-lo pela janela. Ele teve inclusive que recorrer à neve para apagar o fogo do dispositivo.

Segundo o canadense, a operadora Bell se recusou a substituir o produto e o instruiu a entrar em contato com a Samsung. Foi exatamente o que ele fez, mas, agora espera que um especialista da empresa entre em contato.

Diante das ocorrências envolvendo o Note 7, é natural que esses incidentes acabem gerando maior preocupação por parte dos consumidores. Mas, considerando o tempo de lançamento do S7 Edge, bem como a proporção de aparelhos vendidos com o número de casos de explosão, é muito cedo para afirmar que o dispositivo não seja seguro. (*Com informações do Phone Arena.)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos