Samsung compra anúncios em jornais americanos para se desculpar por Note 7

Do UOL, em São Paulo

Para tentar se redimir com os consumidores norte-americanos e não perder ainda mais espaço no país para a Apple, a Samsung resolveu não poupar esforços, nem mesmo dinheiro. A sul coreana comprou páginas inteiras de anúncios em jornais como Wall Street Journal, New York Times e The Washington Post para se desculpar pelo fiasco do Galaxy Note 7.

O aparelho top de linha da marca deixou de ser comercializado dois meses após seu lançamento por riscos de explosão causado por um problema na bateria.  "Nós sentimos verdadeiramente", disse a empresa.

No pedido de desculpas, o CEO da Samsung Eletronics de toda a América do Norte, Gregory Lee, reconhece que a empresa não conseguiu oferecer o que tinha prometido e garantiu que a "segurança" continua a ser a prioridade da empresa.

"Um importante princípio da nossa missão é oferecer o melhor e, recentemente, não cumprimos essa promessa e estamos muito arrependidos", afirmou Lee. "Não são apenas seus telefones. A empresa também teve de emitir um recall para cerca de 3 milhões de máquinas de lavar, devido a tampas mal ajustadas que poderiam soltar e voar durante o uso", completou o executivo.

Mas, segundo o anuncio, a Samsung --que já relatou uma queda de 30% nos lucros no último trimestre-- vai voltar a analisar todos os aspectos do dispositivo, incluindo hardware, software, fabricação e a estrutura geral da bateria. "Vamos avançar o mais rapidamente possível, mas vai levar o tempo necessário para obter as respostas certas."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos