Agora você pode ter o assistente do Google em português em qualquer celular

Márcio Padrão

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

    Google Allo com Google Assistant em português

    Google Allo com Google Assistant em português

Com o lançamento da versão em português do Google Assistant, nesta segunda-feira (5), todo smartphone ganhou o acesso ao novo assistente pessoal da empresa, lançado lá fora no primeiro semestre deste ano. Para utilizá-lo, é preciso baixar o Allo, aplicativo de mensagens do Google, para sistemas Android e iOS.

O Google Assistant tem como principal diferença em relação ao Google Now, outro assistente pessoal da empresa, o fato de se "comportar" mais como uma pessoa, similar ao que faz a Siri nos dispositivos da Apple.

O Assistant é a arma do Allo para tentar se diferenciar da concorrência com o WhatsApp, Telegram, Skype e outros mensageiros. As únicas formas de usar o Assistant hoje são pelo Allo ou comprar um Google Pixel, smartphone da Google anunciado em outubro e que traz o assistente embutido em um Android exclusivo dessa linha, o 7.1.

No entanto, inicialmente ainda gera dúvidas sobre a sua importância e eficácia, visto que as pessoas podem baixar o Allo e ignorá-lo --ou não usar o Allo-- e seguir realizando buscas no Google para obter o que querem saber, como já estão acostumadas.

Até mesmo o Google já havia criado uma ferramenta com propósito similar: o Gboard, um aplicativo gratuito para iOS que adiciona ao teclado do smartphone a opção de busca. Assim qualquer pesquisa feita no buscador da empresa pode ser realizada na mesma tela do bate-papo, sem a necessidade da abertura de um navegador.

O português do Brasil é a terceira língua a ganhar tradução e adaptação para o assistente, depois dos EUA e Alemanha. A Índia também ganhou o Assistant em hindi simultaneamente com o anúncio no Brasil. Além disso, os brasileiros ganharam 120 novos stickers exclusivos para o país, com expressões e gírias bem nacionais como "Falsiane", "Miga sua loka" e "lacrou".

Uma "pessoa" te ajudando

Além de ser capaz de responder a perguntas e frases triviais como "Bom dia" e "Como vai você?", ele vai dar sugestões com informações diretas a dúvidas e pedidos como "Mostre-me um restaurante perto daqui", entendendo o "daqui" como a localização do GPS do celular do usuário e devolvendo algumas opções de locais para comer por perto.

Ele também é integrado a outros serviços do Google e do celular, podendo sugerir um botão para ligar para o restaurante ou mostrar o mapa dele no Google Maps.

Outra semelhança com o Siri é o comportamento "espirituoso" do Assistant em alguns momentos. Ao responder por exemplo a "Onde está Will Byers?" personagem que desaparece no início da série de TV "Stranger Things", ele responde com "No mundo invertido" com o texto de cabeça para baixo.

Allo e Assistant ainda com problemas

No Allo você pode conversar com o Assistant em uma área própria, separada das conversas com pessoas reais --e que guarda tudo ali entre você e o Assistant como um histórico de conversa-- ou acioná-lo nas conversas com seus amigos quando achar necessário. Basta acionar o comando de texto "@google " seguido de alguma pergunta e ele vai trazer esses resultados.

Para isso acontecer, porém, o usuário terá que abrir mão de conversas criptografadas acionadas por padrão --como são as mensagens trocadas pelo WhatsApp. Isso porque o Assistant depende de receber dados dos usuários e jogá-los aos servidores do Google para oferecer os resultados. O que não seria possível em uma conversa protegida. Até há a opção do modo incógnito, onde o conteúdo recebe criptografia, mas o Assistant não funcionará nele.

Uma das possibilidades mais interessantes dos assistentes pessoais é o uso por voz, que quando funciona direito permite que o usuário poupe tempo e esforço digitando. Isso está presente no Assistant do Allo, mas apenas na janela exclusiva do assistente. Se tentar usá-lo nas conversas com pessoas, o botão de microfone vai funcionar como no WhatsApp e gravará uma mensagem de áudio.

Ainda sobre voz, as respostas do Assistant são todas por texto, e não por áudio --algo que até o Google Now já faz em algumas situações. É algo que pode ser impeditivo para conversar com ele em momentos que as mãos e a atenção do usuário são requeridas, como, por exemplo, dirigindo seu carro.

Outro problema verificado nos primeiros usos é que ainda deve haver pequenos problemas de tradução --uma resposta dele dizia "essa é a lista de me restaurante perto daqui"-- e de compreensão --quando perguntamos "tudo bem?", por exemplo, ele respondeu com um "obrigado".

O Google Brasil promete para "breve" a integração do Assistant com apps de terceiros como o Uber --o recurso já existe na versão do assistente para o inglês.

Cortana, Siri ou Google Now: qual é a melhor assistente de voz?

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos