Fones de ouvido sem fios viram colares com reforço sonoro e controles

Márcio Padrão*

Do UOL, em Las Vegas

Uma das maiores polêmicas do ano passado em tecnologia foi a decisão da Apple de acabar com a entrada de fone de ouvido do iPhone 7. E os fones sem fio vieram em peso na CES (Consumer Electronics Show), maior feira de tecnologia do mundo), em Las Vegas,EUA.

Porém, esta tendência é um pouco diferente do pensado pela Apple: todos os modelos vistos são na verdade um tipo de headset na forma de um colar aberto ao redor do pescoço e que se comunica com as músicas do celular por bluetooth. Das extremidades do colar saem os dois pequenos alto-falantes externos --atrelados ao colar por fios curtos-- que irão para sua orelha, como estamos acostumados.

Em alguns modelos há também alto falantes no próprio colar, para te dar a opção de ouvir música próximo ao ouvido, mas sem tapá-lo --porém, não está claro o quanto isso vai incomodar as pessoas ao redor.

Por que esse formato está em alta? Além de garantir finalmente que os antigos fios que iam do fone ao celular enganchassem em algum lugar e até estragassem o produto, você tem ali um espaço maior para introduzir botões de controle da música --pausa, avançar, volume etc. Mas você pode fazer isso pelo celular também.

Dizem as marcas que a qualidade sonora desses colares é melhor, com direito a cancelamento de ruídos, mas outros fones convencionais já fazem isso. E há quem os ache bonitos, mas isso é discutível e cada modelo tem um visual diferente.

Os modelos

Em outra feira de tecnologia do ano passado, a IFA de Berlim, a Sony mostrou um protótipo de fone sem fio que também tinha alto falante no próprio colar. A empresa dizia que o som era direcionado e apenas o usuário conseguia ouvi-lo, mas não era bem assim. Em um teste simples, o UOL percebeu na época que alguém que chegasse perto conseguia ouvi-lo. De qualquer forma, o estande da Sony na CES trouxe esse conceito de novo, que ainda não tem data para sair. 

Márcio Padrão/UOL
Fone bluetooth da Sony tem alto falantes e plug para ouvido

Já o Level U Pro AMC da Samsung e a linha Tone da LG já estão à venda nos Estados Unidos. O da Samsung, lançado no meio do ano passado (US$ 100) e exibido no estande da marca na CES, é a prova d'água, tem microfone para chamadas e funciona com a tecnologia de reconhecimento de voz da Samsung, a S Voice, para operar a música com comandos de voz. 

Márcio Padrão/UOL
Fone Level U Pro da Samsung

A linha Tone da LG tem como diferencial a tecnologia Quad-Layer, que na verdade são quatro alto falantes no colar para deixar o som mais "surround" (ao redor do ouvinte), fora os dois fones que se encaixam no ouvido. Mas os seis não funcionam simultaneamente: ou são os quatro do colar, ou os dois do ouvido. Algo similar ao protótipo da Sony. 

A LG lançou na CES dois modelos para a linha Tone: o Tone Free, cujos fones de ouvido que s?aem do colar na verdade não usam o fiozinho curto --isso é, a experiência toda é sem fio literalmente-- e que podem recarregar a energia no próprio colar; e o Tone Studio, com experiência sonora criada em parceria com a DTS, que produz áudio para cinema. O UOL testou esse último e percebeu que o som realmente é límpido e forte, com destaque para os graves no modo colar. Só sentiu alguns cortes na música em alguns momentos; não ficou claro se foi o bluetooth ou a bateria que falhou. E como o da Sony, quem está em volta pode ouvir. 

Márcio Padrão/UOL
LG Tone é linha sem fio da marca

Outros modelos da linha da LG que já estão nas lojas do exterior, como Tone Infinim, Pro e Active, têm preço entre US$ 40 a US$ 90 --é o caso do Tone Infinim, projetado com a qualidade de som da Harman/Kardon, importante marca de áudio para carros.

No Brasil, algumas lojas online já começam a vender modelos da Samsung (R$ 439,99) e LG (R$ 372,90) nesse formato.

Outras marcas menos badaladas estão de olho na tendência e lançando seus colares auditivos. Como foi visto na CES, é o caso da Klipsch, com os modelos R6 e X12, com acabamento em couro, e a Magnavox, com uma linha genérica. 

Márcio Padrão/UOL
Klipsch, fones de ouvido de pescoço nos modelos R6 e X12, com acabamento em couro

Uma coisa é certa: o formato está em alta entre as fabricantes. E o preço do que já está nas lojas está ok: não custam muito mais que os bons fones com fio. Mas por ser algo recente, ainda há algumas perguntas no ar.

Márcio Padrão/UOL
Fones de ouvido de pescoço da Magnavox

Eles são duráveis? Resistem à chuva? Incomodam o pescoço durante um período longo de uso? São dúvidas que só podem ser respondidas com a recepção do grande público.

* O jornalista viajou a convite da Qualcomm



Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos