Usa o Dr. Google? Busca agora fica mais confiável para resultados médicos

Fabiana Uchinaka

Do UOL, em São Paulo

  • Fabiana Uchinaka/UOL

    Buscas do Google retornarão informações médicas do Hospital Albert Einstein

    Buscas do Google retornarão informações médicas do Hospital Albert Einstein

O Google lançou nesta segunda-feira (6) uma iniciativa em parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, para tornar as buscas dos internautas por interpretações médicas mais precisas e confiáveis.

A nova busca, que só aparece na versão mobile, agora prioriza resultados atualizados e chancelados por profissionais, para evitar o acesso a sites que propagam informações pouco precisas sobre medicina.

Segundo Alessandro Germano, da área de parcerias do Google, uma em cada cinco buscas na ferramenta são relacionadas à saúde, então havia uma necessidade da empresa de "tornar os resultados mais saudáveis".

Então, agora quando fazemos uma busca relacionada à área de saúde, em vez de dez links, aparecem informações validadas e organizadas por tema, num layout diferenciado.

Ou seja, quando se busca "dor no joelho" aparecem condições associadas, tratamentos e orientações, inclusive autotratamentos como "colocar gelo".

A mudança usa a chamada mineração de dados para fazer um painel de informações sobre sintomas e gerar um mapa, bem mais preciso que a busca comum.

O internauta pode inclusive baixar um PDF daquele documento e levá-los ao médico.

Segundo Sidney Klajner, presidente do hospital, o aprimoramento da busca do Google serve para direcionar o paciente a procurar o atendimento correto, evitar a automedicação e a propagação de informações erradas.

Por enquanto, existe cerca de 400 temas e 150 a 200 sintomas cadastrados, que correspondem às principais buscas feitas pelos internautas.

Mas buscas complexas, que somem sintomas, são limitadas. "Quando somamos sintomas, aumentamos a complexidade do diagnóstico", explica Klajner. Nestes casos, um parecer médico é fundamental.

De acordo com Germano, buscas pontuais impulsionadas por surtos ou epidemia, como já aconteceu com zika, febre amarela, gripe e chikungunya, serão atualizadas dentro de dias, privilegiando informações oficiais e orientações do governo.

O Brasil é o segundo país do mundo a usar a nova ferramenta, depois dos EUA.

Google produz vídeo emocionante com assuntos mais pesquisados

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos