Orkut: rede social deixa mais fácil espalhar ódio e gera desafio emocional

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Orkut conta que também foi vítima de bullying e já foi ferido por algo online

    Orkut conta que também foi vítima de bullying e já foi ferido por algo online

Qual foi a sua primeira rede social? Provavelmente o Orkut, né? Lançada em 2004, a plataforma fez enorme sucesso no Brasil e foi, para muita gente, a primeira mídia social como conhecemos hoje. Foi substituída por outras como o Facebook e transformou o mundo mas nem sempre para melhor – quem admite isso é o próprio criador do Orkut, em entrevista ao UOL Tecnologia.

"A internet transformou a humanidade de muitas maneiras, deixou muitas coisas mais fáceis e eficientes. No entanto, estamos mais sozinhos e desconectados do que nunca. A geração atual tem um tremendo desafio emocional e tecnológico para superar", diz Orkut Büyükkökten, criador da antiga rede social e que agora tem uma nova plataforma, chamada Hello.

A era da "curtida" e do extremismo

O engenheiro turco defende que atualmente vivemos em uma "cultura do narcisismo" e estamos "cercados de espelhos, que refletem não verdadeiramente como nos sentimos, mas o que queremos que o mundo veja em nós". É a "era da curtida", em que buscamos passar a impressão de grande alegria e satisfação para nos encaixarmos.

Depois do Orkut as mídias sociais se tornaram muito invasivas e falsas. Nós não nos sentimos confortáveis para mostrar ao mundo quem realmente somos

Orkut Büyükkökten

"Nós passamos impressões falsas de nós mesmos e tentamos provar que estamos ótimos. Estamos nos tornando mais e mais inseguros e isolados à medida que gastamos nosso tempo online. Não podemos nos esquecer que ser amado não é ser venerado através de uma tela", avalia.

Outro problema das redes sociais de hoje em dia é a brecha que elas dão para o avanço do extremismo, já que os radicais se veem representados por outros com o mesmo pensamento e podem "sair do armário". Para Orkut, há sim espaço para muito ódio nas plataformas, ainda mais com o avanço de racismo, homofobia e xenofobia pelo mundo. "Extremismo sempre esteve por perto, mas agora é mais fácil ficar exposto a isso", afirma. 

Mídias sociais tornaram muito fácil espalhar medo, ódio e raiva, deixaram muitas coisas mais aceitáveis. Frequentemente temos medo do que não conhecemos e odiamos o que não entendemos. A internet transborda o melhor e o pior das pessoas

Orkut Büyükkökten

Mais bullying e menos consequências

A problematização das redes sociais ganhou força recentemente com a série "13 Reasons Why", da Netflix, que gira em torno do suicídio de uma adolescente. Em um dos primeiros episódios, a personagem principal diz que a "internet torna tudo pior". 

"Na vida real, palavras e ações têm consequências e tendemos a ser mais respeitosos e amáveis quando conversamos. As mídias sociais deixaram o bullying mais fácil, porque é mais simples intimidar alguém e não ter consequências. As pessoas podem criar perfis falsos ou se tornar anônimas. Até se você usar sua identidade pode provocar alguém e não se importar com a reação do outro", diz Orkut.

Ele admite que, assim como muitos de nós, sofreu bullying na escola e que já foi machucado por algo online, mas acha que os 'bullies' são fracos, inseguros e têm problemas emocionais. Para ele, estamos passando no momento por um "chamado" para levar a sociedade online de volta às raízes offline.

"É muito importante manter nossos valores centrais ou trazê-los de volta para nossa geração. Família, amigos e comunidade importam. Precisamos levar o online para a época em que era tudo sobre se conectar com o outro, se importar, compartilhar paixões e criar uma comunidade que é cheia de amor", diz Orkut, que defende que o Hello foi criado para "juntar pessoas em torno de seus interesses". Mas fica a dúvida: seria mais uma bolha social?

Mesmo assim ele tenta ver o lado bom das redes sociais, de educar, apresentar conteúdos e iniciar o contato entre pessoas. 

"Eu acredito que 99% da humanidade precisa se conectar mais. Redes sociais introduzem um incrível potencial de conhecer pessoas que você nunca conheceria em sua vida, porque quem conhecemos fisicamente e por meio de amigos é muito limitado. Nós podemos construir pontes, achar companhia e até amor online", afirma.

Seu celular pode salvar sua vida

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos