Sem telefones e lugares fixos: conheça nova sede "tecnológica" da Nokia

Bruna Souza Cruz

Do UOL, em São Paulo

  • Fernando Moraes/UOL

A sede da Nokia em São Paulo está de casa nova. Apesar da empresa não se dedicar mais à fabricação de celulares, a companhia finlandesa continua uma das gigantes no mercado de telecomunicações e tecnologia mundial.

E foi com o objetivo de construir um ambiente "ultra tecnológico" e moderno que a Nokia projetou seu novo escritório, localizado na zona oeste da cidade.

Fernando Moraes/UOL

Segundo a empresa, toda a sua estrutura agora conta com 100% de fibra ótica. Além disso, os funcionários não possuem mais lugares fixos de trabalho, não há salas de diretoria e uma das coisas mais curiosas: praticamente não há telefones instalados sobre as mesas.

"Quisemos juntar todo mundo no mesmo ambiente. Faz parte de uma nova cultura aqui onde não tem sala de diretor de empresa. Se o funcionário quiser falar comigo, é só chegar na minha mesa e falar. Trabalho do lado de todo mundo", explicou Cleri Inhauser, diretor geral da Nokia no Brasil.

Fernando Moraes/UOL

O UOL Tecnologia visitou a nova sede e apresenta abaixo alguns detalhes do novo escritório:

Fernando Moraes/UOL

Rede modernizada

O escritório fica localizado dentro de complexo empresarial que abriga espaços para evento, restaurantes, bancos, farmácia, lotérica e lojas em geral. O lugar também abriga empresas como a Sony, Lenovo, Natura e Converse.

Fernando Moraes/UOL

Ao entrar no escritório, todos conseguem visualizar o sistema de rede que a Nokia adotou. É o POL (Passive Optical LAN), responsável por conexões mais rápidas e baseadas em cabos de fibra ótica, explicou Reinaldo Gonçalves, diretor de redes fixas da Nokia no Brasil.

Segundo o executivo, o modelo adotado em todo o escritório é mais simples de ser montado, facilita o gerenciamento da rede, exige um menor consumo de energia e ocupa menos espaço físico do que as redes mais comuns feitas.

Fernando Moraes/UOL

"Funcionam basicamente em duas redes de distribuição. Uma por baixo do piso e outra passa por dentro do forro. Com o POL os funcionários têm mais velocidade de conexão e tudo consegue ser gerenciado lá da Finlândia. Se há uma sobrecarga na rede, eles conseguem detectar lá e nos avisam", acrescentou Gonçalves.

A Nokia não revelou o quanto investiu na modernização de sua nova sede, mas destacou que o custo de manutenção do POL chega a ser 50% mais barata.

Outra vantagem, segundo os executivos, é que a prática do home office pode ser explorada ainda mais pela empresa.

"Temos mesas para 540 pessoas e quase 800 funcionários. Estimulamos a política de home office. Em São Paulo isso faz toda a diferença e o nosso grande desafio era a conectividade. Agora, tudo ficará mais fácil", disse Inhauser.

Mais relacionamento e menos formalidade

O conceito de mobilidade e integração entre as áreas também fazem parte das características principais do novo escritório. De acordo com Inhauser, eles quiseram construir um ambiente informal para os funcionários.

Fernando Moraes/UOL

O exemplo disso é que eles não possuem lugares fixos para trabalhar. O colaborador pode sentar em qualquer mesa que esteja disponível. Salas com portas são só as de reuniões, de treinamento e as cabines telefônicas. Elas são usadas apenas para aquele momento em que a privacidade é importante.

"Queremos integrar mais as pessoas. É uma mudança na forma como a empresa trabalhava. Queremos quebrar a hierarquia", acrescentou Inhauser, que também é diretor de estratégia e operações de negócios para a América Latina.

Fernando Moraes/UOL

As mesas de trabalho não têm gaveteiros nem telefones fixos. Os colaboradores usam um software que possibilita fazer e receber chamadas via notebook ou direcioná-las para o celular. Adeus aos objetos pessoais em cima da mesa!

Fernando Moraes/UOL

Livre circulação

Os corredores são amplos e há espaços para o famoso cafezinho. A iluminação é de LED e tudo foi pensando de modo a aproveitar a luz natural do dia, destacaram os executivos. De fato, o ambiente é bem claro e é possível aproveitar a vista de algumas janelas.

Outra coisa curiosa é que eles "aboliram" o número de impressoras visando reduzir o desperdício e acumulo de papeis. Existem poucas em todo o escritório e, para imprimir algum arquivo, o funcionário precisa passar o seu crachá para ter acesso ao documento. Praticamente não vi papeis espalhados pelas mesas dos funcionários durante a visita.

Fernando Moraes/UOL

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos