Conhece o precursor do gemidão do WhatsApp? Meme Rickroll completa 10 anos

Márcio Padrão

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/YouTube

Há dez anos, a conta de YouTube "cotter548" publicava um vídeo que apesar de não ser novidade, entraria para a história da internet. Era uma cópia do videoclipe da música "Never Gonna Give You Up"(Nunca vou desistir de você, em tradução livre), do cantor britânico Rick Astley, mas com o título "RickRoll'D". Era o nascimento de um dos maiores virais de todos os tempos, que ascendeu junto com a expansão da internet. 

Em tempos de "gemidão do WhatsApp" atingindo incautos no aplicativo de mensagens, lembramos que a prática do "rickrolling" ainda é considerada a pegadinha-modelo da internet, com um legado que perdura até hoje.

Você provavelmente já caiu nela. Se não caiu, a gente explica: consiste em enviar para uma pessoa um link disfarçado ou encolhido (com ajuda de sites como TinyURL.com) alegando que o link te levaria a algum conteúdo extremamente atraente ou inédito, como essas fotos da cantora Anitta inteiramente nua. Quando a "vítima" clica, descobre que foi enganada ao ser levada ao famoso clipe de Astley.

Em 2017, a efeméride vale tanto para a "cópia pirata", que completa dez anos, quanto para a música original: "Never Gonna Give You Up" foi lançada como single em 27 de julho de 1987. São recém completados 30 anos. Ela saiu meses antes do álbum de estreia do cantor, "Whenever You Need Somebody", que continha a icônica faixa.

O clipe-pegadinha "RickRoll'D" subiu no YouTube em 15 de maio de 2007, quase 20 anos depois do sucesso comercial da música e apenas dois anos após o surgimento do próprio YouTube. Na época, ninguém imaginaria como essa canção de três minutos e 32 segundos se tornaria tão querida novamente.

Reprodução
Montagem transforma Rick Astley em James Bond e usa verso de "Never Gonna Give You Up" como bordão à la 007: "Você conhece as regras... e ele também"

Origem

O fenômeno "rickroll" começou no fórum "4chan", na subseção /v/ (video games) ainda em maio de 2007, quando alguém postou um link para o vídeo de Rick Astley disfarçado como uma prévia para o aguardado game "Grand Theft Auto IV". Devido à alta expectativa para o "GTA IV" na época, muitos fãs do game foram vítimas da isca.

O termo é uma derivação de "duckroll", uma piada interna no "4chan" em que o criador do fórum, Christopher Poole (conhecido lá como "moot") implantou um filtro que convertia a palavra "egg" para "duck" nas postagens dos demais usuários.

Baseado nisso, o termo "eggroll" (rolinho de ovo) virou "duckroll". Uma piada levou à outra, e esse termo passou a denominar uma pegadinha de links falsos que levavam à imagem de um pato com rodas de madeira.

Coincidência ou não, apenas cinco dias após a postagem de "RickRoll'D", a série animada adulta "Family Guy" exibiu nos EUA um episódio chamado "Meet the Quagmires", no qual "Never Gonna Give You Up" é tocada em uma apresentação de baile no passado, parodiando a cena em que "Johnny B. Goode", de Chuck Berry, é tocada em "De Volta para o Futuro".

O episódio ajudou a impulsionar a pegadinha, e o "rickroll" alcançou rapidamente a fama nacional (nos EUA) e depois mundial. Em 2008 o fenômeno chegou no seu auge. Uma empresa de pesquisas chamada SurveyUSA estimou que cerca de 18 milhões de americanos haviam caído no "rickroll" até abril daquele ano. Alguns casos famosos que rolaram em 2008:

Reprodução
O "rickrolling" explicado em gráficos

Mesmo nos anos seguintes os memes continuaram:

Ao contrário de outras pegadinhas da internet, como links que escondem golpes para enganar ou infectar usuários com vírus --a prática do "fishing"-- ou o próprio "Gemidão do Zap", que constrange por seu forte conteúdo sexual, o grande diferencial do "rickroll" é que muita gente até curte cair na pegadinha, pois adora a música e deixa o som "rolar", como podemos ver nesse vídeo (em inglês):

O criador e a criatura

Pouco se sabia sobre "cotter548", ou Shawn Cotter, o tal usuário do YouTube que postou o "RickRoll" original. Ele quebrou o silêncio em 2011 ao participar do "Ask Me Anything", uma ação do fórum Reddit em que convidam pessoas famosas para serem sabatinadas.

Ele é um americano que vivia na Coreia do Sul no ano que postou o vídeo. Atualmente vive em Nebraska (EUA), como analista de TI (tecnologia da informação) da Força Aérea americana.

Entre outras curiosidades, disse que escolheu a música porque na época, pesquisava sucessos musicais lançados em 1987, ano em que nasceu. "Decidi que ela tinha o fator 'uau' para atrair as pessoas. Parecia tão datada que eu achava que a Sony-BMG [gravadora de Astley] liberaria logo de cara. Não sei se isso rolaria com outra canção. O vídeo é tão ultrajante, a música em si é grudenta, e o fato de que Rick canta como um cantor negro é excelente".

No entanto, o dono do "rickroll" se enganou, pois a liberação do clipe não foi tão suave. Ele foi retirado do ar por questão de direitos autorais em 2010 e 2014. Mas o YouTube recuperou-o nas duas ocasiões e desde então já contabiliza 76 milhões de visualizações até a publicação desta reportagem.

Surfando na onda do meme

Quem se deu bem mesmo foi Rick Astley. O clipe original de "Never Gonna Give..." na conta oficial do cantor no YouTube alcançou 340 milhões de visualizações. Mesmo que não tenha lhe rendido quase nada em remuneração direta --até 2010 eram míseros US$ 12 por ser o intérprete, e não o compositor da canção, segundo o veículo britânico "The Register"-- sua carreira foi praticamente ressuscitada.

Manuela Scarpa/Photo Rio News
Pela primeira vez no Brasil, Rick Astley se apresenta no HSBC Brasil, em São Paulo, em 2014

Desiludido com a indústria musical, Rick havia se aposentado em 1993 e retornou em meados de 2001, sem muito alarde. Mas após o sucesso do meme, acordou seus antigos fãs e angariou novos, que passaram a comprar seus discos --o mais recente, "50", foi número um no Reino Unido no ano passado -- e revê-lo em shows --incluindo um no Brasil, onde se apresentou pela primeira vez em 2014 com casa cheia.

Sobre o "rickroll", o cantor só tem elogios e entende a piada. "Não tenho problema com isso. Isso me fez muito bem, provavelmente. Não é pessoal para mim, embora eu saiba que seja eu e meu nome no título do "rickrolling". É esse vídeo em que estou, é essa música que é minha, mas poderia ter sido qualquer um", disse em entrevista à "Rolling Stone".

Se alguém tinha dúvidas do bom humor do britânico quanto ao tema e a persistência em seguir cantando, ele tuitou no final de julho: "Há 30 anos eu falei que 'nunca faria vocês desistirem' ('never gonna give you up'). Sou um homem de palavra".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos