Garoto famoso na web por ensinar crochê tem perfil removido no Facebook

Fabiana Marchezi

Colaboração para o UOL

  • Arquivo Pessoal

    Júnior Silva, 12 anos, faz sucesso com vídeos nas redes sociais em que ensina crochê

    Júnior Silva, 12 anos, faz sucesso com vídeos nas redes sociais em que ensina crochê

Após ficar famoso na web ao divulgar vídeos que ensinam a fazer peças de crochê, o adolescente José Ideíldo da Silva Júnior, mais conhecido como Júnior Silva, teve seu perfil do Facebook removido definitivamente nesta terça-feira (29). O garoto de 12 anos lamenta a decisão da rede social, tomada a partir de uma regra da comunidade: "estou muito triste, muito chateado. Estava com 50 mil seguidores. Dá vontade de desistir", lamentou o menino ao UOL.

Já o Facebook informou, em nota, que os "padrões da comunidade não permitem que menores de 13 anos tenham um perfil na rede social". A regra está especificada no item 4 dos Termos de Segurança da rede social. "Você não usará o Facebook se for menor de 13 anos", diz a norma.

A assessoria de imprensa do Facebook afirmou também que a exclusão pode ter sido fruto de denúncias em razão da idade do menino. Mas informou ainda que o adolescente poderia ter uma página e postar os vídeos desde que seu conteúdo fosse administrado por um responsável.

Arquivo Pessoal
Garoto teve perfil removido do Facebook; famoso, ele tinha 50 mil seguidores

A mãe dele, Denise Vieira, informou que não sabia da regra e que essa não é a primeira vez que ele tem um perfil excluído da rede social. "Já aconteceu antes. Mas agora ele estava com tantos seguidores que estou com meu coração partido. Ele está muito triste", disse.

A conselheira suplente do Conselho Tutelar de Iaras (cidade a 285 quilômetros de São Paulo), onde a família mora, disse que vai fazer outro perfil para o filho, como administradora, e que não o deixará desistir dos seus sonhos.

Denise, que tem mais três filhos, acredita que o perfil pode ter sido denunciada. "Eu acho que podem ter denunciado porque tem muita gente que critica, diz que ele precisa ir pra escola, empinar pipa e não ficar fazendo crochê. Mas eu tenho um filho maravilhoso, que sempre foi muito elogiado por sua educação. Ele dá conta de tudo, não fica 24 horas na internet. Ele leva uma vida normal, como todos os meninos de sua idade, e gosta de gravar os vídeos fazendo crochê", completou.

Já o "crocheteiro mirim" disse que apesar de ter desanimado, não vai desistir. "Vou continuar com minha vida normal. Dá vontade, mas não vou desistir. Eu gosto de ensinar crochê e não vou abandonar meus seguidores. Em breve, vou abrir uma nova página e minha mãe será a administradora", avisou o garoto, que também viralizou no YouTube com suas habilidades.

A agilidade de suas mãos e suas técnicas são divulgadas cerca de três vezes por semana na web. Em questão de minutos belos tapetes, cachecóis e outras peças ficam prontos. No YouTube, o garoto já tem mais de 3 mil inscritos em seu canal.

"Eu comecei observando minha avó e minha tia. Achava legais as peças que elas faziam. No final de 2015, pedi para elas me ensinarem e logo peguei gosto. Postei uma foto na internet e muitos começaram a me perguntar como tinha feito. Foi aí que surgiu a ideia de começar a gravar os vídeos para ensinar as pessoas", contou Júnior Silva.

Os vídeos são gravados e editados pelo próprio crocheteiro em sua casa. Para ele, fazer crochê é uma diversão, que não é exclusiva para meninas. "Eu gosto muito. Eu não ligo quando falam que não é coisa de criança e nem de menino. Levo tudo na esportiva. Faço isso porque gosto e não ligo para o que os outros pensam", concluiu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos