Já imaginou um piso gerar energia com os passos das pessoas? Isso existe

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

    Piso gera energia a partir de passos de pessoas sobre ele

    Piso gera energia a partir de passos de pessoas sobre ele

Os seus passos podem gerar energia elétrica. Sim, você não leu errado. Parece estranho, mas é possível que um ato simples como andar seja capaz de fornecer energia. No Brasil, a tecnologia foi apresentada por alunos do Instituto Mauá de Tecnologia durante feira que envolve trabalhos de conclusão de curso.

A ideia, contudo, não é inédita. Segundo os próprios alunos, já houve invenções do tipo fora do país. Há modelos semelhantes no Reino Unido, Japão e Holanda. A mais curiosa aplicação dessa tecnologia é a holandesa: o piso fica em uma balada, e gera energia conforme as pessoas vão dançando. O sistema que fornece a energia fica todo sob o piso.

Veja também: 

"O piso quando você passa ele desce uns 5 ou 10 milímetros. Conforme desce, movimenta um sistema mecânico que passa pelo sistema elétrico e gera energia. Fica tudo embaixo. Ele tem um processo mecânico para potencializar a pisada e o processo elétrico para transformar a energia mecânica em elétrica", explica Guilherme Couto, um dos estudantes que fez o projeto ao lado de Gabriel Bob, Bruna Menascé e Maria Eugênia Lagua.

A estratégia inicial dos estudantes era criar uma catraca que geraria energia quando fosse rodada por transeuntes. Contudo, eles perceberam que o piso é capaz de produzir mais eletricidade e optaram por seguir essa opção.

Quanta energia gera?

Segundo Couto, cada pisada sobre o piso gera em torno de 4 Wats. Os alunos colocaram o sistema em ação durante uma feira de apresentação dos trabalhos de conclusão de curso da universidade no fim de outubro.

Durante os três dias do evento, contaram ao todo 6.263 passos sobre o piso. A energia gerada pelos passos foi de 22.859,95 W. No experimento, eles resolveram devolver a energia gerada para o circuito elétrico do ambiente, o que no fim fornece um desconto na conta de energia após medição da empresa responsável. O valor economizado com os três dias foi de R$ 5,46.

Divulgação
Piso foi criado por alunos do Instituto Mauá de Tecnologia

Mas o que gera mais energia: se a pessoa pular com força em cima do piso ou se pisar de leve várias vezes? Nesse caso, a quantidade vale mais que a qualidade. "A frequência é mais importante do que a força. Duas pessoas pisando é mais importante do que você pisar muito forte", explica Couto.

Onde pode ser usado?

Por enquanto, os alunos criaram apenas um protótipo de um piso gerador de energia. A peça é um hexágono com 20 centímetros de lado e 10 centímetros de altura. O preço de cada piso, segundo Couto, variaria entre R$ 1.200 e R$ 1.500. Até pelo valor economizado depender de um grande número de pessoas circulando, a ideia é colocar peças do tipo em locais de bastante movimento-- e, no futuro, baratear com uma produção em massa.

Dois locais pensados pelo aluno são na catraca do metrô de São Paulo, onde circulam milhares de pessoas todos os dias, e em estádios de futebol. O exemplo japonês do piso que gera energia é colocado exatamente no metrô, enquanto no Reino Unido quem o fabrica é uma empresa que vende o piso para eventos.

"A gente pensou nem em vender, mas fazer parceria com metrô. Deixa o piso embaixo da catraca e o que economizar seria dividido entre as duas partes", conta Guilherme Couto.

Não é descartada também a ideia de no futuro esse piso chegar a casas. Contudo, Guilherme explica que teriam que ser feitos novos estudos para forrar todo o chão de um ambiente.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos