Pornô sob ameaça? Pornhub e RedTube criticam fim da neutralidade da rede

Do UOL, em São Paulo

  • Montagem/UOL

    Sites do gênero, frequentemente entre os mais acessados do mundo, se manifestaram nas redes sociais contra a decisão da FCC

    Sites do gênero, frequentemente entre os mais acessados do mundo, se manifestaram nas redes sociais contra a decisão da FCC

A FCC (Comissão Federal de Comunicações, espécie de Anatel norte-americana) decidiu, ontem (14), acabar com a neutralidade da rede. A grosso modo, o fim da neutralidade significa que as provedoras de serviço no país poderão cobrar o uso da Internet por meio de pacotes, em um modelo similar ao que existe nas TVs por assinatura. Você pode entender o caso com mais detalhes aqui.

VEJA TAMBÉM

A sociedade civil não reagiu da forma mais positiva ao resultado da votação - 3 a 2 a favor do fim da neutralidade -, mas uma reação em especial chamou a atenção: a dos sites com conteúdo pornográfico.

Sites como Pornhub e RedTube publicaram mensagens ácidas em seus perfis no Twitter. Em uma delas, que você vê abaixo, o perfil do Pornhub fez uma piada: "Três homens ricos fo*** todos os americanos. Em breve no Pornhub".

Já o RedTube publicou duas mensagens. Na primeira, eles dizem que "Agora que a neutralidade da rede foi repelida, nós voltaremos à boa e velha revista de nudez. Se você quiser se cadastrar, por favor nos mande seu cadastro via pombo correio. Nós deixaremos comida de pássaro na frente do nosso prédio para ter certeza que a carta chegue em segurança".

E completou com uma pergunta: "Masturbação ainda é gratuita, certo?".

Alta demanda

Conteúdo adulto é um dos mais acessados na Internet. Para se ter uma ideia, apenas os usuários do Pornhub consumiram 3.110 petabytes de dados em 2016, o que dá a média de 99 GB por segundo e 6 TB por minuto. Ao todo, quase 92 bilhões de vídeos foram assistidos no site no período, que totalizou 23 bilhões de visitas.

Outro site que se destaca em número de acessos é o Xvideos, que em novembro publicou em seu Twitter que tinha alcançado a marca de 5º site mais visto em todo mundo, atrás apenas do Google, do Facebook, do YouTube e do Baidu.

 

O que pode mudar?

 

O grande temor dos sites pornográficos é que, com o fim da neutralidade, as provedoras de Internet norte-americanas possam cobrar por pacotes especiais que permitam o acesso a esse tipo de conteúdo - hoje, ele é totalmente gratuito.

Isso causaria um impacto considerável nesse tipo de página, uma vez que os Estados Unidos - segundo dados de 2016 do Pornhub - é o país que mais acessa conteúdo do tipo. No ano passado, o site teve 221 "visualizações per capita" de habitantes dos EUA, primeiro colocado no quesito.

Por ora, nenhum provedor norte-americano anunciou planos diferenciados já considerando o fim da neutralidade.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos