Após polêmica, troca de bateria do iPhone será mais barata no Brasil

Do UOL, em São Paulo

  • iStock

Um dia depois de emitir um comunicado em inglês anunciando um pedido de desculpas aos consumidores por reduzir sem aviso o desempenho de iPhones antigos e um programa de desconto para trocar baterias, a Apple estendeu o bônus para o Brasil. Agora o valor pago pela troca de baterias em aparelhos fora da garantia nas assistências oficiais da Apple no Brasil custará R$ 149 - antes, era R$ 449.

A informação veio da tradução em português da carta aberta da Apple. Com a publicação da carta no site oficial da marca, o desconto em terras nacionais foi confirmado.

VEJA TAMBÉM:

Na semana passada, a Apple confirmou suspeitas antigas de usuários de que tornava alguns aparelhos antigos mais lentos. A empresa diz que lançou uma função para reduzir picos instantâneos de energia apenas quando precisa prevenir que o dispositivo seja desligado de forma inesperada. Na prática, isso significa reduzir a velocidade (por meio de atualização de software) em aparelhos antigos, que estejam com a bateria gasta.

O fato só foi percebido após análises de testes de aplicativos de benchmark (testes de desempenho) apontarem isso. A companhia, contudo, caiu em escrutínio pela falta de transparência com os usuários. Em nenhum momento os donos dos smartphones foram informados da atitude da empresa.

A falta de transparência levou a processos de consumidores nos EUA, na Austrália e em Israel, além de uma entidade francesa de combate à obsolescência programada (tendência de desenvolver produtos que se tornam rapidamente obsoletos). Nos EUA, o site "Patently Apple" contabiliza até o momento dez ações contra a Apple, sendo que uma delas pede US$ 999 bilhões de indenização.

"Recebemos comentários dos nossos clientes sobre a forma como lidamos com o desempenho dos aparelhos iPhone com baterias mais antigas e como comunicamos esse processo. Sabemos que alguns de vocês ficaram decepcionados com a Apple e pedimos desculpas por isso." Comunicado da Apple

A empresa alega que nunca fez nada para "encurtar intencionalmente a vida de qualquer produto da Apple, ou degradar a experiência do usuário para impulsionar as atualizações dos clientes". Para depois explicar porque o tal recurso, até então desconhecido do grande público, é necessário para supostamente prolongar a vida útil dos iPhones.

Por que a Apple torna iPhones antigos mais lentos?

A Apple informa que todas as baterias se deterioram com o tempo, e que isso dificulta a capacidade do componente de manter uma carga. Além disso, o número de vezes que um aparelho é carregado e as condições de temperatura em que ele está durante este processo também ajudam no "envelhecimento químico" da bateria de íon-lítio.

Outro problema é que a bateria "envelhecida" não consegue fornecer cargas de energia pico, sobretudo quando está com baixa porcentagem de carga. Esta tentativa de puxar essa energia forte pode fazer, por exemplo, com que o iPhone se desligue sozinho em algumas situações.

Baseado nisso, a partir do sistema operacional iOS 10.2.1, a Apple implementou um novo sistema de gerenciamento de energia para evitar desligamentos inesperados nos iPhones 6, 6 Plus, 6s, 6s Plus e SE - depois incorporou isso aos iPhones 7 e 7 Plus. Com isso, o sistema operacional gerencia de forma dinâmica o desempenho máximo de alguns componentes do sistema para prevenir um "apagão".

Em alguns casos, informa a companhia, este processo pode tornar mais lenta a abertura de apps e da performance do aparelho de modo geral.

Este processo de tornar iPhones antigos mais lentos só acontece se a bateria estiver deteriorada. Ao trocar o item por um novo, mesmo iPhones com o iOS 10.2.1 voltam a funcionar normalmente, sem as reduções de desempenho descritas acima.

A Apple disse, após a reportagem procurar a empresa, que o iPhone 5S também será afetado pelo recurso. O 5S é o mais velho da linha a aceitar a versão mais recente do sistema operacional iOS 11.

Como será a troca nos EUA?

Mas a controvérsia causada por essa descoberta deixou a Apple preocupada. Como parte de suas desculpas, a empresa da maçã lançou um desconto para a troca de baterias usadas.

Nos Estados Unidos, a substituição da bateria do iPhone fora de garantia caiu de US$ 79 (R$ 275) a US$ 29 (R$ 100) em terras ianques. Isso começará no final de janeiro. A companhia prometeu que o programa de desconto estará disponível em todo o mundo até dezembro de 2018.

Nas assistências técnicas oficiais da Apple no Brasil, a troca de bateria fora de garantia custava R$ 449 antes do novo desconto. Assistências informais fazem a substituição com preço mais em conta. O UOL consultou uma delas, o Rei do iPhone, que diz cobrar entre R$ 120 e R$ 180 para os iPhones mencionados neste texto. No entanto, a bateria nova não será uma original da Apple, mas uma similar de outra marca "com as mesmas especificações técnicas", diz Wissam Atie, proprietário da assistência.

No início de 2018, a Apple ainda deverá enviar uma atualização do iOS com novos recursos que permitirão maior visibilidade sobre a integridade da bateria do iPhone, detalhando se sua condição atual está ou não afetando o desempenho.

Bateria do iPhone rende bem mais com um único clique; veja como

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos