De olho na segurança

Mentira tem perna curta: homem do golpe do "príncipe da Nigéria" é preso

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/Facebook Slidell Police Department

    Polícia de Slidell (EUA) prende Michael Neu, responsável por fraude do "príncipe nigeriano" que pedia dinheiro a internautas

    Polícia de Slidell (EUA) prende Michael Neu, responsável por fraude do "príncipe nigeriano" que pedia dinheiro a internautas

Quem usa internet há muitos anos já deve ter se deparado com algum e-mail suspeito, com um texto em inglês sobre um "príncipe da Nigéria" (ou de outro país africano) que iria repassar muito dinheiro a beneficiários nomeados em um testamento, para herdar uma propriedade no valor de US$ 1 milhão ou mais. Ou outras histórias que não podiam ser facilmente provadas, mas eram mirabolantes e cara-de-pau o bastante para convencer ingênuos a repassar dinheiro.

A polícia de Slidell, na Louisiana (EUA), deu um pequeno passo para frear esse clássico cibercrime: prendeu na última quinta-feira (28), Michael Neu, 67 anos, responsável por 269 contas bancárias usadas para lavagem de dinheiro ou na transferência da grana obtida com vítimas do golpe a outros criminosos na Nigéria. E como podemos ver nas fotos, de príncipe nigeriano ele não tem nada.

VEJA TAMBÉM:

O problema em encerrar definitivamente a rede por trás desse golpe está justamente na dificuldade de rastrear os envolvidos em outros países, como a própria polícia de Slidell explicou em um post no Facebook: "A investigação está em andamento, mas é extremamente difícil pois muitas pistas levaram a indivíduos que vivem fora dos Estados Unidos".

Divulgação/Facebook Slidell Police Department

A Comissão Federal do Comércio americana dedica uma página somente a "scams" (golpes com histórias falsas que visam extorsão financeira) com promessas que chegam por e-mail vindo de países africanos. Geralmente são "funcionários, empresários ou cônjuges sobreviventes de ex-chefões do governo na Nigéria ou em outro país cujo dinheiro está retido temporariamente".

As narrativas podem variar desde contratos para expandir a exploração de petróleo, como aponta o site "Know Your Meme", à busca de parceiros para recuperar uma grande herança.

Eles sugerem que vão transferir muito dinheiro à sua conta bancária se você pagar as taxas ou 'impostos' que eles precisam para obter o montante maior. Se você responder à oferta inicial, você pode receber documentos que parecem 'oficiais'. Eles podem até incentivá-lo a viajar para o país em questão, ou um país vizinho, para concluir a transação. Alguns fraudadores produziram fotos com baús de dinheiro falso para tentar comprovar sua idoneidade.

No entanto, à medida que o golpe avança, os golpistas afirmam surgir "emergências", exigindo mais do seu dinheiro e atrasando a "transferência" de fundos à sua conta. No final, obviamente não haverá lucros para quem caiu no truque, o dinheiro pago pela vítima não é recuperado, e o autor do golpe sumirá.

Segundo a Comissão, em alguns casos a coisa fica pior: "De acordo com os relatórios do Departamento de Estado, pessoas que responderam a esses e-mails foram espancadas, sujeitas a ameaças e extorsões e, em alguns casos, assassinadas".

Infelizmente essa nova prisão não deverá ser suficiente para que o golpe morra de vez, já que tem muitos envolvidos. Só no ano passado, outro americano, de 40 anos, foi preso por liderar uma rede de 40 pessoas envolvidas em "scam". Mas pelo menos é mais uma comprovação de que o golpe existe, e apesar de parecer ridículo para muita gente, ainda causa transtornos a muitos incautos pelo mundo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos