E os recursos? Apple cai em contradição após vacilo que envolvia bateria

Do UOL, em São Paulo

  • Getty Images/iStockphoto

Depois da grande DR --sim, a temível discussão de relacionamento-- que rolou nos últimos dias entre a Apple e seus consumidores, a empresa desculpou-se pela mudança no sistema operacional que deixava iPhones mais lentos à medida que a bateria envelhecia e deu um superdesconto para quem quiser trocar sua bateria velha por uma nova. 

Nos EUA, o preço cairá de US$ 79 para US$ 29; no Brasil, de R$ 449 para R$ 149.

Muita gente comemorou, afinal, qualquer desconto em produtos Apple é bem-vindo. Mas nisso ela criou um novo problema: onde foi parar todo aquele discurso da companhia de cuidar do meio ambiente?

Quantos recursos serão necessários para dar conta dessa demanda e o que será feito com as centenas, talvez milhares, de baterias antigas que retornarão às mãos da empresa?

VEJA TAMBÉM:

Quem entra na página da empresa dedicada às ações de proteção ao meio ambiente é recebido pela pergunta: "Será que um dia fabricaremos produtos sem gastar os recursos do planeta?"

Logo depois o texto diz: "Quando produtos podem ser usados por mais tempo, não é necessário extrair recursos para fabricar outros novos".

"Se, mesmo assim, algo parar de funcionar, temos programas como o AppleCare e as assistências técnicas autorizadas pela Apple, que ajudam nossos clientes a continuar usando seus dispositivos. Nós também lançamos atualizações de software com frequência, para que os produtos não fiquem obsoletos e tenham a maior vida útil possível", anuncia a Apple. 

Parece lindo... no papel. 

Segundo a Apple, a programação que reduzia o desempenho de iPhones com baterias usadas há algum tempo era necessária para salvar seu celular de picos de energia, que poderiam levar a um desligamento repentino.

Mas a história ainda não foi concluída. Processos estão rolando no exterior, e o Procon-SP notificou nesta quarta-feira (3) a Apple Brasil para obter mais informações sobre a mudança no software e detalhes sobre o novo programa de troca de baterias. A empresa terá 10 dias para se manifestar.

O desconto, em princípio, valeria para baterias envelhecidas --para saber o estado da bateria, seria aplicado um teste do Genius Bar, suporte técnico das lojas oficiais da Apple. Mas agora foi anunciado que qualquer dono de iPhone terá direito à troca com desconto.

A Apple vendeu 216,7 milhões de celulares, segundo seu relatório de 2017. Todos os iPhones com o iOS 10.2.1 ou posterior, ou seja, do iPhone 5S em diante, vêm com o tal recurso "antidesempenho máximo". Modelos mais antigos, comprados há pelo menos seis meses, estão mais suscetíveis à queda de capacidade. Isso sem contar o mercado paralelo de iPhones usados ou recondicionados.

Eis a conta: se 10% das pessoas que compraram um iPhone em 2017 quiser fazer a troca, serão mais de 20 milhões de baterias descartadas, sendo que parte delas sequer precisariam ser substituída.

Baterias contêm substâncias bem nocivas à saúde e ao ambiente, que podem levar à anemia, a problemas neurológicos e ao desenvolvimento de câncer. No ambiente, o descarte incorreto pode atingir os lençóis freáticos, o solo e a alimentação.

Então, fica a pergunta para a Apple: que fim terão essas baterias e quantas delas serão recicladas?

A companhia não havia respondido à reportagem do UOL até a publicação desta notícia. O que sabemos até agora é que ela já tem um programa de reciclagem de baterias e está experimentando usar cobalto reciclado nas baterias dos futuros produtos, segundo seu mais recente relatório de sustentabilidade.

Como saber se minha bateria está piorando?

Problemas ambientais à parte, se você só está interessado em saber se a bateria do seu iPhone caiu de rendimento ou não, fique atento aos sinais indicados pela própria Apple

  • Tempos maiores de inicialização de apps
  • Menores taxas de quadros durante a rolagem
  • Escurecimento da luz de fundo (que pode ser substituído na Central de Controle)
  • Volume mais baixo do alto-falante de até -3dB
  • Reduções graduais da taxa de quadros em alguns apps
  • Em casos mais extremos, o flash da câmera será desativado como visível na interface do usuário da câmera
  • Apps sendo atualizados em segundo plano podem exigir recarregamento após a inicialização

Alguns desses detalhes podem parecer técnicos demais para a maioria das pessoas perceber, porque são mesmo. Outros, como escurecimento da luz de fundo e flash desativado no app de câmera, são mais evidentes. Então se pela sua experiência você suspeitar de algo parecido com o que está acima, o melhor é levar para um técnico autorizado pela empresa para checar se a suspeita se confirma.

Bateria do iPhone rende bem mais com um único clique

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos