De olho na segurança

Intel e Apple atacam novamente grande falha que afeta chips de aparelhos

Do UOL, em São Paulo *

  • Walden Kirsch/Intel Corporation

    O CEO da Intel, Brian Krzanich, abre evento da empresa na CES, em Las Vegas

    O CEO da Intel, Brian Krzanich, abre evento da empresa na CES, em Las Vegas

O mercado de tecnologia continua agindo para impedir que as falhas de segurança Meltdown e Spectre, reveladas na semana passada e que afetam quase todos os processadores de computadores, celulares e outros aparelhos, se tornem um problema real para as pessoas. O diretor executivo da Intel, Brian Krzanich, afirmou na segunda-feira (8) que as consequências foram contidas graças à colaboração com as empresas tecnológicas.

VEJA TAMBÉM:

Assim como a Apple, Krzanich repetiu que desconhece que dados tenham sido hackeados através do Meltdown e do Spectre. "Trabalhamos sem descanso para garantir que isso fique assim", explicou durante uma apresentação na feira CES, a maior do mundo sobre eletrônica realizada em Las Vegas (oeste dos Estados Unidos).

Através dessas falhas, um hacker experiente pode ler informações sensíveis armazenadas em um computador, um servidor ou um celular.

Além da Intel, suas concorrentes ARM e AMD, assim como outras empresas de tecnologia como Microsoft, Amazon e Mozilla, lançaram atualizações de segurança para frear o problema.

Desempenho cai mesmo?

Quanto ao impacto dessas atualizações no desempenho, Krzanich defende que possíveis quedas de rendimento serão "altamente dependentes da carga de trabalho" [do usuário].

Mas ele admite que "algumas cargas de trabalho possam ter um impacto maior que outras, então continuaremos trabalhando com a indústria para minimizar o impacto sobre essas cargas de trabalho ao longo do tempo".

A empresa já havia dado essa explicação em comunicados na semana passada, mas um tom mais agressivo e tentando negar a queda de desempenho, além de afirmar que empresas como Apple, Amazon, Google e Microsoft relataram pouco ou nenhum impacto na performance após as primeiras atualizações de sistema.

"Ao contrário do que diz algumas notícias, qualquer impacto no desempenho depende da carga de trabalho e, para o usuário médio do computador, não deverá ser significativo e será atenuado ao longo do tempo", dizia o texto da Intel no último dia 3 de janeiro.

Ele prometeu que todos os chips que a Intel produziu nos últimos cinco anos terão correções até o fim de janeiro - sendo que 90% deles as receberão em até uma semana - mas não disse quando os processadores mais antigos serão corrigidos.

Os passos da Apple

A Apple lançou na segunda-feira (8) três novas atualizações para o navegador Safari e seus sistemas operacionais iOS e macOS para protegê-los do Spectre. 

A empresa já havia lançado em dezembro atualizações para iOS, macOS e tvOS (Apple TV) que protegiam contra a "Meltdown". O WatchOS, sistema operacional do relógio Apple Watch, não precisava de atualização.

"Para a proteção de nossos clientes, a Apple não divulga, discute ou confirma problemas de segurança até que uma investigação tenha ocorrido e as atualizações estarem disponíveis", disse a empresa em seu site.

A Apple também disse que não havia casos conhecidos de hackers que se aproveitaram dessa falha.

* Com Reuters e AFP

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos