Alta em perdas e roubos: 9,3 milhões de celulares estão com IMEI bloqueado

Do UOL, em São Paulo

  • Getty Image

    Número alto de aparelhos bloqueados pode ter a ver com roubos e furtos

    Número alto de aparelhos bloqueados pode ter a ver com roubos e furtos

O número de celulares com o IMEI (número único de cada aparelho) bloqueado no Brasil já passa de 9,3 milhões. Os dados são do Sinditelebrasil (sindicato patronal das principais operadoras nacionais), que aponta ainda um leve crescimento desse número durante o ano de 2017.

No ano passado, nada menos que 1,6 milhão de celulares foram bloqueados junto ao CEMI (Cadastro de Estações Móveis Impedidas).

Os casos mais comuns de bloqueios são de dispositivos que foram roubados, furtados ou perdidos, mas é preciso considerar também que houve um aumento nos últimos anos da base de smartphones e da consciência da população para a importância do IMEI de seus celulares.

Veja também: 

Em 2016, o número de novos celulares bloqueados havia sido de 1,5 milhão. No ano anterior, 1,2 milhão. Em dezembro de 2010, o número total de dispositivos bloqueados era de 1,3 milhão.

O CEMI funciona desde 2000 e serve para bloquear celulares roubados, furtados ou perdidos. 

Com o IMEI bloqueado junto às operadoras, o aparelho não faz mais ligações ou qualquer outra comunicação que depende do serviço dos provedores.

O aparelho continua funcionando apenas com funções que não têm interferência das operadoras – apps e Wi-Fi, por exemplo.

Para bloquear um IMEI, o cliente deve entrar em contado com a operadora munido de dados pessoas e, se o cliente souber, o número do IMEI.

Para descobrir o IMEI, basta digitar no teclado do aparelho *#06# e aparecerá um número na tela do celular ou consultar na área de configurações do aparelho, variando a depender do modelo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos