Samsung

Acessório que faz Galaxy virar PC ficou ainda melhor para usar no trabalho

Márcio Padrão

Do UOL, em Barcelona*

  • Márcio Padrão/UOL

    DeX Pad, da Samsung, em demonstração no MWC

    DeX Pad, da Samsung, em demonstração no MWC

Um acessório bastante funcional, mas ainda pouco acessível. Esta era o DeX Station, da Samsung, que transformava seus celulares top de linha em um "miolo" de computador acoplado a mouse, teclado e tela grande. E assim também é o segundo membro da família -- o DeX  Pad, lançado em Barcelona na feira MWC.

Em design, a diferença mais nítida agora é que o celular fica deitado. A princípio não vi motivo para isso, mas na feira percebi que com ele deitado o celular pode transformar sua tela em um trackpad para controlar o cursor, como acontece nos notebooks. Ou seja, o Pad passa a sensação de utilizar um mouse. No primeiro DeX, como o celular ficava em pé, isso seria bem incômodo.

Veja mais

A conexão dele com outros acessórios, como teclado, pode ser via Bluetooth, entrada USB (duas estão disponíveis) e USB-C. Há ainda uma porta HDMI para conexão com o monitor. Agora, o Pad tem suporte a telas de 2.560 x 1.440 pixels, uma melhora em relação ao Station (que suportava 1.920 x 1080 pixels). 

O DeX Pad é compatível com o Galaxy S8, S8+ e Note 8, mas eles precisarão ter o Android 8, sistema nativo no Galaxy S9 e S9+, mas ainda indisponível para os modelos do ano passado. Para os donos desses celulares, será preciso esperar por uma atualização, mas a Samsung ainda não revelou quando isso vai acontecer. 

De resto não vi grandes diferenças em relação ao DeX Station, que segundo nossos testes já funcionava muito bem para realizar um monte de tarefas "de computador" em um celular. No novo aparelho, os apps que dão suporte ao acessório vão além de expandir a imagem no monitor. Eles oferecem uma experiência que emula a de um desktop. Nessa turma estão o pacote Office, o Acrobat Reader, Photoshop Express, o Gmail, o Chrome, o Spotify e outros apps corporativos.   

Márcio Padrão/UOL
Lançado no últmo dmingo (25), o DeX Pad transforma o celular em "notebook"

A interface adaptada na tela é a mesma com os botões de controle do Android à esquerda embaixo, vários ícones de notificações e atalhos à direita. No centro estão os atalhos para aplicativos. A demonstração tinha muita coisa do Office, indicando que realmente é um dispositivo para quem vai trabalhar muito com o celular pulando de escritório para escritório.

O interesse da Samsung em morder o mercado corporativo tem fundamentos. Nos EUA, a Apple tem presença forte com clientes desse segmento. No ano passado, a companhia de software Egnyte analisou 25 petabytes de dados de seus clientes e concluiu que 82% das atividades realizadas em dispositivos móveis partiram do iOS.

Já a Jamf, outra firma de software, pesquisou 300 de seus clientes globais também em 2017. A conclusão foi de que em 2016 houve crescimento de 76% na adoção de iPhone ou iPad em relação ao ano anterior. Assim, o DeX Pad pode ser uma ferramenta para impulsionar a presença dos telefones da Samsung nesse segmento. 

Pena que o acessório continua sendo um treco relativamente caro (sem preço divulgado ainda, mas o Station custa US$ 100, ou R$ 334) e bem restrito. Ele só funciona com os celulares premium da Samsung e parece ter um foco específico em um segmento do mercado. Tomara que ele venda bem o bastante para outras marcas começarem a criar suas próprias versões do Dex, mas baratos e democráticos.

*O repórter viajou a convite da Motorola 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos