Elon Musk na SXSW: "Precisamos preservar a raça humana em outros mundos"

Do UOL, em São Paulo

  • Diego Donamaria/Getty Images

    Elon Musk fala com o público do festival SXSW, em Austin, nos EUA

    Elon Musk fala com o público do festival SXSW, em Austin, nos EUA

O fundador da Tesla e da SpaceX, Elon Musk, deu uma passada no badalado festival South By Southest (SXSW), na cidade norte-americana de Austin, no Texas, para trocar uma ideia com o público sobre sua visão para o futuro interplanetário da raça humana.

No painel, Musk explicou que quer criar bases na Lua e em Marte para, entre outros motivos, salvar a humanidade.

"É bem provável que role outra idade das trevas", disse Musk. "Se outra guerra mundial acontecer no futuro da Terra, temos que garantir que existam sementes da raça humana suficientes para trazer nossa civilização de volta".

VEJA TAMBÉM:

O empresário esclareceu que não estava predizendo um conflito mundial, mas que sente que precisamos ir embora da Terra antes que uma Terceira Grande Guerra aconteça.

Colônia em Marte

Musk tem uma visão bastante ambiciosa sobre a colônia que planeja construir em Marte: 1 milhão de pessoas vivendo em uma estação autossustentável. E isso deve acontecer daqui a 40 e 100 anos.

"Marte vai precisar de tudo, desde forjas de aço até pizzarias e boates", explicou Musk para o público do festival. "Na real, Marte precisa ter ótimos bares".

Quem vê o sucesso recente da SpaceX, com o lançamento e retorno do foguete Falcon  Heavy e o envio do carro Tesla Roadster para o espaço, com motorista e tudo (um manequim batizado de Starman, como na música de David Bowie), não consegue imaginar que a empresa espacial de Musk já esteve mal das pernas.

Mas foi exatamente o que o empresário revelou no SXSW: "Os primeiros três lançamentos da SpaceX falharam. Se o quarto lançamento tivesse fracassado, nós estaríamos mortos". Ele disse que precisou emprestar dinheiro dos amigos no começo da SpaceX, ou a empresa aeroespacial não teria sobrevivido aos primeiros anos.

O próximo passo da SpaceX é a construção de um novo foguete, o maior da empresa, chamado provisoriamente de "BFR" (Big Fucking Rocket, ou, em tradução livre, "foguetão da porra"). Musk espera que o foguete comece a fazer voos curtos (e voltar) no primeiro semestre de 2019.

Divulgação
O Tesla Roadster vermelho (e seu "piloto") enviado ao espaço pelo Falcon Heavy

Medo da inteligência artificial

"A inteligência artificial me assusta pra cacete", disse Musk, sem papas na língua. Ele explicou que não é fã de regulamentações, mas que acredita que inteligência artificial é mais perigosa do que armas nucleares "e "nós não deixamos todo mundo fazer bombas atômicas".

"É importante garantir que a ascensão da inteligência artificial seja simbiótica com a humanidade", disse Musk.

O sentido da vida

Elon Musk também participou de surpresa do painel de "Westworld" do SXSW. Ele foi convidado pelo cocriador da série, Jonathan Nolan, que também produziu aquele clipe do Tesla Roadster voando pelo espaço ao som de "Starman".

Musk não falou sobre a série nem sobre os detalhes técnicos de mandar o Tesla para o espaço. Sua mensagem principal foi sobre o sentido da vida - ou o sentido que queremos para nossas vidas.

"A vida não pode ser só sobre resolver um problema miserável depois do outro. Devem existir coisas que inspirem você, que façam você acordar feliz pela manhã e agradecer por ser parte da humanidade"

Segundo Elon, foi para isso que ele e Jonathan produziram esse vídeo:

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

LEIA MAIS

UOL Cursos Online

Todos os cursos