Sonho de consumo: testamos o ferro que não queima a roupa

Mirella Luiggi

Colaboração para o UOL, em São

Ninguém está imune à situação de queimar roupas quando usa o ferro de passar. Até mesmo os mais experientes podem se dar mal quando passam um tecido diferente. Resolvi então testar o Smart Protect, novo ferro da Arno, que promete nos salvar disso para sempre: a empresa jura que ele não marca as roupas.

O diferencial do produto está na chamada Smart Technology, sistema inteligente que ajusta a temperatura automaticamente e desliga sozinho após um período sem mexer. Para isso, o aparelho só precisa estar parado na vertical ou na horizontal. 

VEJA TAMBÉM

Mirella Luiggi/UOL
Do jean à seda, sem problemas
Os dois recursos citados não são novidade e já haviam sido aplicados em outros ferros. O Perfect Care Azur, da Philips (não lançado no Brasil), já tinha acabado com o ajuste da temperatura. O Precision Line, da Eletrolux, possui o desligamento automático. Um terceiro ferro, o Perfect Care Ultra Philips Walita, foi lançado antes do modelo da Arno e já combinava as duas coisas.

O diferencial da Arno foi juntar tudo isso em um ferro de tamanho normal, com recipiente para água embutido, que não queima as roupas ao ser esquecido em cima do tecido. O modelo da Philips é mais trambolhento, porque seu recipiente de água é separado do corpo do ferro. Além disso, custa quase o triplo do preço do Smart Protect. 

A ausência de ajuste de temperatura permite que se passe vários tipos de tecido em sequência sem que se preocupe com o calor. Mas, ao contrário do que parece, não ocorre uma adequação de temperatura automática.

Segundo a equipe de engenharia da Arno, o ferro lida com uma única temperatura "comprovadamente ideal para passar desde a seda até o jeans, aliada à eficiente difusão de vapor". 

Mirella Luiggi/UOL
Temperatura inteligente te permite passar vários tipos de tecido em sequência

Mas isso funcionou na prática?

Nos nossos testes, passamos uma saia jeans e logo a seguir uma peça de cetim. Em um ferro comum, essa operação certamente resultaria no cetim queimado. Mas não vimos nenhum dano no tecido. Testamos também o ferro em poliéster, viscose e linho, com o mesmo resultado positivo.

Para testar o sistema de auto-off, passamos um tecido fino de algodão e deixamos o ferro ligado em cima dele por seis minutos. Não houve nenhum tipo de queimadura ou marca na peça.

Segundo o fabricante, o tempo de desligamento do ferro é de cinco minutos de inatividade na posição horizontal e oito minutos na posição vertical. Mas, na prática, isso foi difícil de precisar, pois a luz de auto-off continuou pulsando mesmo com o ferro na posição vertical por 20 minutos sem mexer.

Após uma hora, o ferro estava completamente frio, mas a luz seguia pulsando. Para desligar o ferro por completo, só mesmo desplugando-o da tomada, porque ele não tem um botão power.

O nível de vapor do ferro varia entre 20 e 40 gramas por minuto (para 127 V e 220 V, respectivamente), quantidade encontrada em alguns ferros acima de R$ 100. Além disso, o produto possui spray de água e um botão de vapor extra que solta jatos mais fortes de vapor, com até 120 g/min.

Esse botão é útil para eliminar os vincos mais fortes e serve também como vapor vertical, para que o ferro seja usado para desamassar roupas mais delicadas no cabide.

Trazendo ainda como destaques a boa ergonomia e uma eficiente função anti-pingos sem vazamentos, o Smart Protect tem como pontos fracos o peso um pouco incômodo (1,29 kg, contra cerca de 950 g dos modelos comuns), o reservatório pequeno de 260 ml (tivemos que enchê-lo várias vezes nos testes) e o preço alto.

Afinal, R$ 419 não é um valor amigável quando há ferros a vapor muito bons por cerca de R$ 150, embora sem o recurso antiqueimadura.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos