Uber pode não ter tido culpa de acidente, mas estava acima da velocidade

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

O carro autônomo da Uber que se envolveu em um grave acidente, resultando na morte de uma mulher de 49 anos, no Arizona (EUA), pode não ter tido culpa, segundo Sylvia Moir, chefe da polícia local. No entanto, o carro estava acima da velocidade máxima permitida.

Em entrevista exclusiva ao site SF Chronicle, Moir afirmou que, pela forma com que o acidente ocorreu, dificilmente o acidente teria sido evitado, mesmo que o veículo estivesse sendo conduzido manualmente por um motorista.

O caso aconteceu na noite de domingo e é o primeiro acidente fatal envolvendo testes de carros autônomos.

Veja também: 

A vítima, Elaine Herzberg, estava carregando uma bicicleta e sacolas de plástico na calçada quando repentinamente seguiu em direção à rua. Moir explicou que o motorista que estava dentro do veículo de teste afirmou que "como num flash" a mulher caiu na frente deles. Apesar de estar no carro, o homem não estava dirigindo o carro.

O Departamento de Polícia calcula que o carro estivesse a 61 km, sendo que o limite máximo permitido era de 55 km.

Herzberg foi levada inconsciente para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Ainda segundo o jornal, o veículo da Uber era um Volvo SUV e estava equipado com pelo menos duas câmeras, uma voltada para a rua e outra focada no motorista. Segundo Moir, as imagens demonstram que seria muito difícil evitar a colusão, já que a vítima surgiu de repente.

Por causa do atropelamento, a Uber decidiu parar os testes de carros sem motoristas. Isso vale para os carros autônomos em Tempe, onde o acidente ocorreu, São Francisco, Pittisburg e Toronto (Canadá).

Outros casos

Não é a primeira vez que um carro da Uber se envolve em um acidente. Há cerca de um ano, também no Arizona, um acidente com outros dois carros fez a empresa também suspender os testes que fazia com a nova tecnologia. 

Contudo, a investigação apontou que a culpa foi de outro carro no momento da batida, já que ele teria furado um cruzamento. Não houve feridos, mas o carro autônomo da Uber chegou a tombar. 

A tecnologia de carro sem direção humana é considerada o próximo passo do setor automotivo e diversas empresas fazem testes com veículos sem motorista - Tesla, Google, Samsung e as grandes empresas automotivas são algumas delas. 

Acidentes (graves ou não) marcam uma parte da fase de testes dos carros. O órgão de trânsito dos EUA já fez críticas recentes à Tesla por causa de seus veículos autônomos, mas ainda não há nenhuma nova ordem para esse tipo de veículo.

A tecnologia de carros sem direção humana usa inúmeros sensores que mapeiam o ambiente ao redor do automóvel. Assim, teoricamente, conseguem evitar acidentes e se guiar, sendo até mais seguros que os carros comuns. O UOL Tecnologia chegou a testar recentemente um modelo semiautônomo disponível para venda no Brasil.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos