Qual é a pior operadora do Brasil? Veja ranking da Anatel

Bruna Souza Cruz

Do UOL, em São Paulo

  • Getty Images/iStockphoto

Internet lenta no celular, péssimo atendimento e dificuldades completar a ligação. Se você tem um celular e sofre com coisas assim, saiba que muitos brasileiros, infelizmente, passam por isso.

Segundo a pesquisa de satisfação e qualidade dos serviços de telecomunicação em 2017 feita pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), o item "telefonia móvel pré-paga" ficou com a 2ª pior nota (média nacional de 6,83 na escala que vai até 10) no indicador de Satisfação Geral entre os consumidores em 2017, perdendo apenas para serviço de banda larga fixa. O levantamento avaliou também a qualidade da telefonia móvel pós-paga, telefonia fixa e TV por assinatura.

Pré-pago

A Sercomtel, empresa paranaense que atua em cidades do Paraná, foi a que registrou maior pontuação entre usuários satisfeitos com o pré-pago. Já a Oi e a Tim, que operam em todo o Brasil, ficaram com as menores notas em seus serviços do tipo. Logo, é possível observar que empresas com presença em menos Estados tendem a ser mais bem avaliadas que as principais operadoras do país.

No levantamento, que ouviu 30.666 consumidores entre 26 de julho e 3 de dezembro de 2017, os usuários atribuíram notas de 0 (nada satisfeito) a 10 (totalmente satisfeito) às suas operadoras.

Entre os itens avaliados, a Anatel considerou: a qualidade dos canais de atendimento; tempo de espera no atendimento telefônico; clareza na oferta e contratação dos planos; funcionamento (ligações e internet); cobrança; reparo e instalação; e capacidade de resolução de problemas.

Veja o ranking do pré-pago

  • Sercomtel (7,71)
  • Algar (7,41)
  • Claro (6,92)
  • Vivo (6,88)
  • Tim (6,82)
  • Oi (6,66)

Entre as categorias avaliadas, a capacidade de resolução (nota 5,24), atendimento telefônico (5,97) e recarga (6,76) são os itens com as piores avaliações.

Apesar de o índice de insatisfação ser considerável, vale dizer que houve uma melhora na percepção dos consumidores de 2016 para 2017.

Separando por Estado, Rondônia (7,18), Alagoas (7,15) e Pernambuco (7,12) são os lugares que somam os consumidores mais satisfeitos. Na outra ponta, Minas Gerais (6,55), Bahia (6,61) e Paraná (6,61) possuem as pessoas mais insatisfeitas com seus celulares pré-pago.

Pós-pago

A mesma pesquisa também ouviu consumidores sobre a qualidade dos serviços de telefonia pós-paga. Ao todo, foram feitas 31.467 entrevistas em todas as regiões brasileiras. Dentro da escala de 0 a 10, o índice satisfação geral ficou com a média nacional de 6,99. Com o resultado, a modalidade foi considerada uma das mais bem avaliadas no ano passado.

Amazonas (nota 7,23), Alagoas (7,22) e Rio Grande do Sul (7,13) possuem os consumidores mais satisfeitos.

Roraima (6,64), Minas Gerais (6,27) e o Distrito Federal são os com os piores serviços, segundo a percepção dos consumidores.

O relatório da Anatel indica que entre 2016 e 2017 os serviços de telefonia pós-paga registraram notas melhores em todos seus indicadores, com todas ficando acima de 5, desde que a pesquisa começou a ser feita em 2015.

As categorias atendimento telefônico (5,99), capacidade de resolução (6,11) e canais de atendimento (6,91), foram os que ficaram com as menores médias. Já cobrança (7,26) e funcionamento do serviço (7,01) tiveram as maiores notas.

Confira o ranking do pós-pago

  • Porto Seguro (8,32)
  • Vivo (7,26)
  • Tim (7,16)
  • Algar (7,04)
  • Nextel (7,02)
  • Claro (7)
  • Oi (6,20)

Os demais dados do levantamento estão aqui.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos