Pesquisa: Operadoras brasileiras são pouco transparentes sobre uso de dados

Do UOL, em São Paulo

  • iStock/Getty

As principais operadoras de internet do Brasil não têm muito apreço pela privacidade de seus clientes – ou não são transparentes sobre suas intenções. É o que apontou um levantamento feito pelo InternetLab, chamado "Quem defende seus dados".

O trabalho busca promover nas operadoras transparência e adoção de boas práticas de privacidade e proteção de dados de seus assinantes, seja na internet fixa ou móvel. Em sua terceira edição, o levantamento realizado anualmente analisou o serviço de empresas responsáveis de pelo menos 1% do total de acessos à internet no Brasil - segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

LEIA TAMBÉM

Oito empresas se encaixaram no perfil, sendo que algumas delas prestam serviços tanto para internet fixa quanto para móvel. No caso da internet móvel, foram avaliadas Claro, Oi, TIM, Vivo e Nextel. No caso da fixa, NET, Oi, TIM, Vivo, Sky e Algar foram analisados nas seis categorias determinadas pelo InternetLab:

  1. Se a empresa informa o usuário sobre o tratamento de dados
  2. Se a empresa informa o usuário sobre condições de entrega de dados a agentes do Estado
  3. Se a empresa defende a privacidade de usuários no judiciário
  4. Se a empresa adota posicionamento público pró privacidade
  5. Se a empresa publica relatório de transparência sobre pedidos de dados
  6. Se a empresa notifica usuários sobre pedidos de dados

A cada categoria, o estudo levou em consideração de dois a seis parâmetros, avaliando com uma estrela o desempenho de cada provedor nas categorias.

A Vivo, banda larga fixa e móvel, foi quem teve o melhor desempenho, atingindo completa ou parcialmente os parâmetros de cinco categorias.

Ela só não "pontuou" na sexta e última, sobre as notificações aos usuários sobre pedidos de dados. Nenhuma das outras sete operadoras cumpriu esse pré-requisito, no entanto.

Se a Vivo é a que se mostrou mais respeitosa às questões levantadas pelo InternetLab, NET (internet fixa) e Nextel (móvel) estão no outro lado do espectro. Elas obtiveram apenas um quarto de estrela na categoria "Informações sobre condições de entrega de dados a agentes do Estado", pois atenderam apenas a um dos quatro parâmetros determinados.

A NET "promete obedecer a legislação vigente ao fornecer dados de clientes a autoridades públicas", enquanto a Nextel "promete fornecer dados cadastrais por requisição (sem ordem judicial) a autoridades administrativas competentes". E só. Dos 18 parâmetros da pesquisa, cada uma das empresas só cumpre um.

Em contato com o UOL, a Nextel afirmou respeitar a lei e informar seus assinantes das questões avaliadas pelo levantamento.

"A Nextel cumpre rigorosamente a legislação vigente, informando por diversos canais e de forma clara e transparente sobre o tratamento da privacidade dos dados dos clientes. Além disso, mantém constante fiscalização sobre a aplicação das regras que incidem sobre os serviços fornecidos".

A NET, por sua vez, não respondeu ao UOL até a publicação desta notícia, nem a primeira atualização da mesma.

As demais concorrentes não estão tão mal quanto a NET, mas também não se aproximam muito da Vivo. A segunda mais respeitosa é a TIM (fixo e móvel), que não cumpre nenhuma categoria completamente, mas respeita parâmetros de quatro delas.

Confira o desempenho das empresas de internet móvel

Reprodução

Confira o desempenho das empresas de internet fixa

Reprodução

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos