De olho na segurança

Veja como saber se a Cambridge Analytica roubou seus dados do Facebook

Márcio Padrão

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Facebook vai começar a avisar usuários afetados pela Cambridge Analytica

    Facebook vai começar a avisar usuários afetados pela Cambridge Analytica

De tudo que ficamos sabendo após o escândalo do uso indevido de dados de usuários do Facebook, uma coisa ainda não estava clara: como saber quais usuários tiveram suas informações surrupiadas e manipuladas pela consultoria britânica Cambridge Analytica para ajudar a eleger Donald Trump e tirar o Reino Unido da União Europeia?

A resposta deve sair em breve. Segundo o portal "Mashable", a partir das 8h do horário de Brasília desta segunda (9), todos os usuários afetados pelo escândalo notificações no topo de seus Feeds de Notícias, alertando-os se seus dados foram roubados e "mal utilizados" pela Cambridge.

VEJA TAMBÉM:

Em um comunicado na semana passada, o Facebook já havia adiantado o visual dessa notificação (na imagem que llustra esta notícia) e explicado esta notificação. Na verdade serão duas: a outra vem acompanhada de um botão para você saber quais apps e sites têm acesso a seus dados do perfil do Facebook.

"A partir de segunda-feira, 9 de abril, mostraremos às pessoas um link na parte superior de seu feed de notícias para que eles possam ver quais aplicativos eles usam e as informações que compartilharam com esses aplicativos. As pessoas também poderão remover aplicativos que não desejam mais. Como parte desse processo, também informaremos às pessoas se suas informações podem ter sido compartilhadas de maneira inadequada com o Cambridge Analytica.

A tela à esquerda na imagem acima será vista pelos usuários que não foram afetados pela violação de dados da Cambridge Analytica, enquanto a da direita será para os que foram afetados.

O Facebook estima que os dados do Facebook de até 87 milhões de pessoas "podem ter sido compartilhados de maneira imprópria" com o Cambridge Analytica durante a eleição presidencial dos EUA.

Desse total, estima-se que 70,6 milhões foram apenas nos EUA, seguido de Filipinas (1,1 milhão), Indonésia e Reino Unido (1 milhão), México (789 mil), Canadá (622 mil), Índia (562 mil), Brasil (443 mil), Vietnã (427 mil) e Austrália (311 mil).

Vale ver se você foi um dos 443 mil brasileiros afetados, pois esse problema é mais sério do que parece.

Se você ainda não se importou muito com isso porque a eleição do Trump e o "Brexit" estão longe da sua realidade, pense o seguinte: e se a moda pegar no Brasil? Você iria gostar se seus dados do Facebook ajudassem a eleger um político que você odeia ou mudar o resultado de um plebiscito que te afetaria diretamente?

Big data eleitoral que elegeu Trump tenta se firmar no Brasil

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos