Curto-circuito no celular pode ter matado bombeira no Rio Grande do Sul?

Bruna Souza Cruz

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/Arquivo Pessoal

    Gislene Goulart era bombeira voluntária

    Gislene Goulart era bombeira voluntária

Deixar o celular carregando na tomada por longas horas é uma prática bem comum, mesmo assim pode ser perigosa.

A morte da bombeira voluntária e técnica em enfermagem Gislene Martins Goulart, 36, causou comoção e reviveu a preocupação. Ela teve boa parte do corpo queimado em um incêndio em seu apartamento que, especula-se, começou após um curto-circuito no celular que estava carregando, ao lado da cama onde ela dormia.

A Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Gravataí (RS) ainda está investigando as possíveis causas do incêndio, mas a hipótese de que o fogo tenha sido gerado em decorrência do curto-circuito não foi descartada, de acordo com o site local Gauchazh. 

Carregar o celular é mesmo perigoso?

A resposta é depende. Existem riscos que precisam ser analisados, mas o carregador em si não é o maior vilão em casos de incêndio, segundos os especialistas. Mas o perigo pode estar no uso de carregadores piratas. 

Carregadores originais, homologados pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), só fornecem energia para o celular se eles estiverem ligados ao aparelho. No caso dos piratas, isso não tem como ser garantido.

Veja também

Logo, mesmo que o celular não esteja conectado ao carregador, o dispositivo pode estar puxando energia se estiver ligado na tomada.

Esta situação, combinada com problemas na rede elétrica do local, podem sim aumentar as chances de qualquer curto-circuito.

No caso dos carregadores originais, os especialistas afirmam que ele funciona como um interruptor sem a lâmpada quando não estão ligados na tomada. Por isso, o risco de eles causarem algum curto-circuito é bem raro.

De qualquer forma, a recomendação é sempre tirar o carregador da tomada assim que o ciclo de recarga for concluído, seja ele original ou pirata. Isso por que existe também o risco de um raio atingir a rede elétrica em dias de chuva. Aí, nenhum sobrevive, dependendo do impacto.

Carregador e água também não combinam

Outra prática comum de várias pessoas é usar o celular no banheiro enquanto ele está carregado. Só que os riscos de um curto-circuito podem ser ainda maiores.

Tudo porque a água (não pura) funciona como um bom condutor de eletricidade. Além de aumentar o risco de um choque, a umidade também pode danificar o seu aparelho.

Por isso, mantenha distância de locais úmidos quando estiver com o celular na mão e se o dispositivo não tiver resistência à prova de água.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos