CSI brasileiro: como a internet resolveu um grande mistério ligado à Amazon

Bruna Souza Cruz

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

Um simples cartão de memória, que veio junto com um câmera comprada na Amazon, resultou em uma "séria" e elaborada investigação, digna do seriado CSI (ou Investigação Criminal).

Ok, não foi nenhum crime sangrento, mas o trabalho de apuração foi intenso e nos deixa uma reflexão: qualquer pessoa pode descobrir coisas sobre nós com base apenas em fotos e tudo o que postamos em nossas redes sociais.

Já explico.

Tudo começou quando o publicitário e fotógrafo Bruno Predolin publicou em seu perfil no Twitter na última segunda-feira (7) algumas fotos que ele encontrou dentro de um cartão de memória lacrado.

Em pouco tempo, muitos internautas começaram a comentar a publicação com suas suspeitas de quem poderia ser o dono ou dona do cartão de memória. Principalmente, depois que uma pessoa analisou detalhadamente a foto e achou um nome num cartão: Edward.


Predolin então começou a investigar mais a fundo:

Resolvi postar no Twitter, porque era uma história curiosa. Só que tomou proporções gigantescas. Aí, começou a investigação

"Joguei o nome [do suposto homem dono do cartão] no Google e vi que um site dos Estados Unidos disponibiliza informações como nome, endereço e até quem mora junto das pessoas lá. Ele era de Chicago e que tinha dois endereços na cidade", contou ao UOL Tecnologia.

O fotógrafo pesquisou os endereços no Google Street View e comparou as imagens com as fotos tiradas da janela de um prédio. Elas batiam.

Um internauta até calculou a distância entre o local das fotos tiradas ao ar livre até casa do "dono do cartão".


"Ele encontrou o Facebook [do possível dono, um senhor norte-americano]. Lá vimos uma foto que ele tirou em frente a um prédio muito parecido com o que aparecia numa das fotos que veio no cartão de memória", disse Predolin.

Também foi fácil descobrir a data das fotos, não só pelas informações do arquivo, mas pelas imagens que apareciam na televisão fotografadas.

Claro que o brasileiro já adicionou o tal Edward no Facebook, mas o convite ainda não foi aceito.

Medo do que compartilhamos

Segundo Predolin, o cartão de memória veio com um kit com bateria e carregador de uma câmera nova da Sony vendida no site da Amazon. Um amigo que estava nos Estados Unidos recebeu o produto e trouxe para ele no último dia 25 de abril.

"Quando chegou fui testar. Coloquei o cartão de memória na câmera e fiz umas imagens de teste. Quando fui olhar a foto, vi que já tinham umas 80 fotos batidas dentro do cartão. E o pior: o cartão estava lacrado", explicou.

Predolin entrou em contato com a empresa que vendeu a câmera com o cartão de memória, a Focus Camera, e um representante disse que é a Amazon que manuseia os produtos e envia. A empresa ofereceu de trocar o cartão ou enviar baterias extras, para compensar o problema. 

"Escolhi o cartão e agora estou ansioso para segunda temporada desse caso de CSI Brasil. Vai que vem um novo cartão usado, né?", brincou.

Ele não entrou em contato com a Amazon para saber o que pode ter acontecido, então essa parte ainda não foi solucionada.

"O mais interessante é que com apenas quatro fotos tiradas de lugares públicos de Chicago e umas internas foi possível descobrir nome, endereço e telefone da pessoa", acrescentou.

Fiquei com um pouco mais de medo de tudo que a gente compartilha aqui. É muito fácil achar qualquer coisa

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos