De olho na segurança

Alexa grava conversas de casal 'sem querer' e envia a conhecido

Bruna Souza Cruz

Do UOL*, em São Paulo

Imagine que você está conversando com alguém dentro da sua casa e um tempo depois um conhecido fala para você que recebeu a gravação da conversa. Um caso assim aconteceu em Portland, nos Estados Unidos, e a culpada pelo episódio foi a assistente de voz Alexa, da Amazon.

O alto-falante Echo da empresa começou a gravar aleatoriamente algumas frases ditas pelo casal na residência e há duas semanas um funcionário da empresa do marido alertou a esposa de que tinha recebido uma gravação de áudio sobre uma curiosa conversa falando de pisos e madeiras.

Veja também

Ao que tudo indica, o sistema da Alexa confundiu palavras com frases de comando para funcionar. Em geral, a assistente de voz começa a gravar coisas depois de ouvir o seu nome ou uma palavra de ativação configurada anteriormente pelo usuário.

"Eu me senti invadida", disse a mulher, identificada apenas como Danielle, segundo o veículo local KIRO 7. "Uma total invasão de privacidade". Assustada, Danielle prometeu nunca mais ligar o dispositivo, já que não pode confiar no aparelho.

Segundo a Amazon, o sistema deve ter identificado o comando de envio da gravação de áudio durante a conversa. Depois disso, a Alexa retornou com a frase "para quem". Como a conversa continuou, a empresa acredita que o sistema acabou interpretando um nome na lista de contatos do cliente.

Diante do ocorrido, a Amazon disse que está "avaliando as opções para tornar esse caso ainda menos provável."

O caso reacendeu as preocupações com a privacidade e segurança de usuários que utilizam tecnologias parecidas.

Para Ryan Calo, professor associado de direito da Universidade de Washington que pesquisa a aplicação da lei à tecnologia, o incidente é mais alarmante porque um diálogo privado foi gravado e enviado a uma outra pessoa.

Daniel Kahn Gillmor, tecnólogo da ONG União Americana pelas Liberdades Civis, concorda e alerta para o risco de ataques intencionais de hackers em aparelhos que se tornam cada vez mais comum.

"Convidamos esses sistemas para entrar em nossas vidas, mas estamos apenas começando a ver as consequências negativas", disse Gillmor. "Há situações para as quais não precisamos ter essas coisas. Muitas pessoas compraram o Echo porque sentem que é uma coisa mágica. Talvez a mágica não valha a pena."

Estima-se que mais de 60 milhões de usuários norte-americanos usarão um alto-falante inteligente pelo menos uma vez por mês neste ano e mais de 40 milhões deles devem usar os aparelhos da Amazon.

Reprodução

Assistentes virtuais sempre têm voz de mulher, e isso é um problema

Mulheres digitais

*Com informações da Reuters e Bloomberg

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos