Uber e Careem são proibidos de pegar passageiros em aeroportos sauditas

RIAD (Reuters) - Motoristas do Uber e do Careem foram proibidos de apanhar passageiros em aeroportos na Arábia Saudita, informou o jornal Al Madina, citando um porta-voz do diretório geral de tráfego do país.

Autoridades de tráfego vão punir quem violar as regras e transportar passageiros na área do aeroporto, segundo o coronel Tareq Al-Rubaiaan.

Reguladores aeroportuários há tempos proibiram motoristas particulares de oferecer carros para locação a quem desembarca na Arábia Saudita, o que significa que os aplicativos de compartilhamento de caronas estavam operando em território legalmente incerto, enquanto ganhavam popularidade.

O Uber teve histórico conturbado com reguladores da região do Golfo. Só no mês passado, a empresa assinou um acordo com autoridades de transporte na vizinha Dubai para se tornar totalmente regulada após uma série de conflitos em relação aos preços praticados e a disponibilidade.

A Arábia Saudita aderiu em grande parte ao Uber e ao regional Careem, cortejando as companhias com investimentos estatais substanciais para sustentar o plano de reforma econômica.

Num país em que mulheres são barradas e mototistas privados são normalmente caros, as mulheres respondem por 80 por cento dos passageiros de ambos os serviços.

Em junho, o fundo de investimento público do Estado comprou uma fatia de 3,5 bilhões de dólares no Uber, enquanto a estatal Saudi Telecom investiu 100 milhões de dólares na Careem em dezembro.

(Por Katie Paul)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos