Grupo de tecnologia dos EUA pede ação global contra "mercantilismo" chinês

PEQUIM (Reuters) - O grupo de políticas tecnológicas da Fundação de Tecnologia da Informação e Inovação norte-americana disse em um relatório nesta quinta-feira que as políticas industriais mercantilistas da China representam um risco para a economia global e para o sistema de comércio, pedindo pressão internacional sobre a China para forçar um "reinício" de política.

O relatório coincidiu com a divulgação de um documento separado por uma influente câmara de negócios dos Estados Unidos criticando o plano "Made in China 2025" de Pequim, que tem como objetivo aumentar dramaticamente os produtos fabricados internamente em 10 setores, desde robótica até produtos biofarmacêuticos.

Os dois grupos se juntam a um crescente coro de empresas estrangeiras que reclamam desses planos e dos bilhões de dólares do governo chinês em subsídios.

O grupo disse que as políticas da China ameaçam "todo o sistema econômico e comercial global".

Os esforços das três administrações anteriores dos EUA para envolver funcionários chineses haviam "falhado", disse a fundação, e como a China não dependente mais economicamente dos EUA, Washington não tem força suficiente para conter Pequim sozinho.

A fundação pediu aos EUA, juntamente com Austrália, Canadá, Alemanha, Japão, Coreia do Sul, Reino Unido e União Europeia a pressionarem conjuntamente a China para um "reinício de política econômica fundamental".

(Por Michael Martina)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos