YouTube faz maior aposta em transmissão de esportes eletrônicos

(Reuters) - O YouTube, da Alphabet, está se rendendo ao lucrativo negócio de videogames competitivos, conhecidos como esportes digitais, onde os usuários disputam partidas em torneios que prometem grandes prêmios.

O site de vídeo fez nesta quinta-feira seu maior investimento no negócio até o momento, assinando um contrato de vários anos com a plataforma de esportes eletrônicos FACEIT para transmitir o Esports Championship Series (ECS).

A plataforma de videogames foi apontada como um dos próximos grandes destaques em eventos ao vivo, atraindo milhões de espectadores online. As empresas de mídias tradicionais e as grandes editoras de videogame estão clamando por uma participação maior.

A FACEIT, uma das maiores plataformas de esportes eletrônicos do mundo, fez parceria com a Twitch, da Amazon.com, no ano passado para lançar o ECS. O site de games transmitiu as duas primeiras temporadas da liga no ano passado.

"Agora que o YouTube está definitivamente investindo mais no lado ao vivo, achamos que era uma grande oportunidade para nos reunirmos", disse à Reuters Michele Attisani, co-fundador da FACEIT.

O vídeo ao vivo está se tornando um recurso altamente competitivo em plataformas sociais, com o YouTube no mês passado lançando streaming ao vivo de dispositivos móveis para usuários com mais de 10.000 assinantes.

A terceira temporada do ECS, que conta com a participação dos jogadores em "Counter-Strike: Global Offensive", será transmitida exclusivamente no YouTube a partir de 25 de março, segundo a FACEIT, sediada em Londres.

"Este é definitivamente o nosso maior investimento nesta área em geral", disse Ryan Wyatt, diretor de jogos, conteúdo e parcerias do YouTube, em entrevista.

Os termos financeiros do acordo não foram divulgados.

A receita com plataformas de esportes eletrônicos deve crescer 41 por cento, para 696 milhões de dólares, em 2017, de acordo com a empresa de pesquisa Newzoo.

A audiência global para esportes eletrônicos deve chegar a 385 milhões em 2017, ante mais de 200 milhões em 2015.

O YouTube vai trabalhar com os jogadores do ECS para ajudar a criar audiências nos seus canais do YouTube.

O campeonato também oferecerá pacotes de patrocínio de anunciantes no YouTube, que tem mais de 1 bilhão de usuários.

"Acho que a grande coisa que a plataforma de esportes eletrônicos precisa fazer agora é... se introduzir para as massas, para que possamos continuar envolvendo maiores marcas", acrescentou Wyatt.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos