Ação antitruste pode levar America Movil a cortar custos trabalhistas

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - As medidas antitruste anunciadas na semana passada para dividir a America Mevil e abrir sua rede de telefonia fixa para a concorrência podem ajudar o principal provedor de telecomunicações do México a reduzir os custos trabalhistas, de acordo com um porta-voz do sindicato.

Um sindicato que representa 60 mil trabalhadores na unidade de telefonia fixa da America Movil, conhecida como Telmex, mostrou oposição às regras.

A reorganização criaria uma nova entidade que poderia contratar novos trabalhadores e pagá-los menos do que no contrato existente, disse Eduardo Torres Arroyo, porta-voz do Sindicato dos Operários Telefônicos do México (STRM). O sindicato ameaçou uma greve se as regras não forem alteradas.

"Essa possibilidade existe", disse Arroyo. "Estamos tentando evitar que isso aconteça."

Paula Garcia, porta-voz da América Móvil, se recusou a comentar se os custos trabalhistas da empresa poderiam ser reduzidos ou não como resultado das novas regras.

O regulador mexicano, o Instituto Federal de Telecomunicações (IFT), está buscando aumentar o acesso à rede de telefonia fixa da America Movil, enquanto tenta atrair capital para a expansão da rede, de acordo com Alexander Elbittar, pesquisador da universidade mexicana CIDE especializada em regulação e concorrência.

As regras poderiam acabar beneficiando a América Móvil, em parte liberando-a de algumas de suas obrigações com seus trabalhadores, segundo Elbittar.

A América Móvil, que tem negócios em toda a América Latina, viu as receitas crescerem em cerca de 9 por cento em 2016. As despesas, no entanto, subiram quase 15 por cento.

Francisco Hernandez Juarez, líder do STRM, disse à Reuters que a América Móvil pediu a regra, mesmo com a oposição pública da empresa.

"Esta ordem vem do regulador", escreveu Garcia via e-mail. O IFT se recusou a comentar.

Elbittar disse que é comum um regulador traçar uma regra em consulta com os negócios que afetará.

"Os reguladores não são empresários, e eles não estão cientes de todas as sutilezas", disse ele.

(Por Dan Freed)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos